Publicado 09/05/2019 - 08h01 - Atualizado 09/05/2019 - 08h01

Por Alenita Ramirez

Polícia vasculha a fazenda em Amparo onde o corpo da vítima foi encontrado na última segunda-feira

Divulgação

Polícia vasculha a fazenda em Amparo onde o corpo da vítima foi encontrado na última segunda-feira

A Polícia Civil de Amparo prendeu um caseiro de 60 anos suspeito de ter matado um desempregado de 32, em fevereiro deste ano. O caso foi descoberto na segunda-feira, após a mulher do caseiro José Maria de Lima avisar uma irmã da vítima sobre o crime. O corpo foi achado em estado avançado de decomposição, enterrado em uma vala, na fazenda onde Lima trabalha. Segundo o investigador chefe da delegacia da cidade, Waldemar Cardoso, Lima confessou o assassinato e alegou que a vítima agrediu sua esposa, que estava grávida, e depois revelou ser amante dela. Ontem de manhã, a polícia ouviu o caseiro, sua ex-mulher e três amigos do suspeito.
A vítima, que era procurada da Justiça por tráfico de drogas, estava desaparecida desde o dia 2 de fevereiro. Na época, a polícia achou a moto do desempregado abandonada próxima ao ponto de ônibus no trevo de Serra Negra e Monte Alegre do Sul, local este distante 3km da fazenda.
O caseiro trabalhava havia 28 anos na fazenda, localizada no Loteamento Estância Seabra, em Amparo. Lima não tinha passagem criminal e conhecia a vítima. No dia do crime, o desempregado apareceu na fazenda, de moto, e foi convidado a participar de um churrasco organizado entre o caseiro e os amigos. "Em dado momento, a vítima discutiu com a mulher e desferiu um chute na barriga dela. O caseiro ficou revoltado e partiu para cima do desempregado. Durante a briga, a vítima contou que era amante da mulher dele", detalhou o investigador.
O desempregado foi espancado na cabeça e, segundo apurações, também foi decapitado com uma foice. Após matar o homem, o caseiro jogou o corpo em uma ribanceira ao lado da casa e seguiu com o churrasco.
Com o final da festa, por volta das 4h30 da madrugada, o caseiro pegou uma carriola e levou o corpo da vítima para um pasto distante da casa. "Recentemente, o casal discutiu e ele a agrediu. A mulher decidiu ir embora para o Guarujá, mas ao chegar lá, enviou uma mensagem no celular da irmã do desempregado e contou sobre o crime", disse Cardoso.
A irmã do desempregado fez a denúncia na manhã de anteontem e no mesmo dia os policiais localizaram o corpo. Lima e outro empregado, suspeito de ajudar no crime, foram presos. "As investigações seguem para descobrir se os outros dois empregados também participaram do crime e se a mulher perdeu o neném devido ao chute desferido pelo desempregado ou se foi aborto espontâneo", explicou Cardoso.

Escrito por:

Alenita Ramirez