Publicado 09/05/2019 - 07h37 - Atualizado 09/05/2019 - 07h37

Por Francisco Lima Neto

Parceria entre Grupo RAC e Sanasa entra no 13º ano, valorizando as boas práticas sustentáveis

iStock/Banco de Imagens

Parceria entre Grupo RAC e Sanasa entra no 13º ano, valorizando as boas práticas sustentáveis

O Projeto Responsabilidade Ambiental — parceria entre o Grupo RAC e a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) de Campinas — entra em 2019 na sua 13ª edição. A parceria renova o compromisso das duas instituições com práticas que promovam a informação e a conscientização sobre e necessidade de preservar o meio ambiente, para garantir a qualidade de vida da atual e das futuras gerações. O tema desse ano é “Sustentabilidade e Inovação”.
A cada ano, a parceria ganha mais corpo na importância da conscientização e na adoção de práticas sustentáveis no dia a dia. De acordo com Mário Segurado, diretor de Marketing e Comunicação do Grupo RAC, o planeta está se ressentindo das pressões que o homem tem feito nos últimos anos e é preciso encontrar cada vez mais um equilíbrio entre desenvolvimento e sustentabilidade.
“Em todos os países a gente tem visto as pessoas se preocupando com isso. Em Campinas e na Região Metropolitana de Campinas (RMC) não é diferente. Cabe a nós buscarmos cada vez mais empresas grandes, pequenas e médias, pessoas físicas, o setor público privado, para que a gente crie essa forma de discutir, buscar a sustentabilidade e como fazer de forma democrática, barata e de fácil acesso para todo mundo”, afirma.
A inovação está relacionada com o desenvolvimento da tecnologia, especialmente na área da comunicação, e como a população está mudando seus hábitos diários. A inovação gera questionamentos desde os hábitos de higiene até a forma de medir atividades geofísicas na atmosfera. Inovar remete a práticas mais sustentáveis na vida, de forma a agredir menos o meio ambiente.
A partir da próxima quinta-feira, dia 16, será publicada uma série de reportagens na edição impressa do Correio Popular e também no portal, divulgando ações ambientais em dois segmentos: público-privado e terceiro setor.
Serão divulgadas 25 ações sobre sustentabilidade e inovação até o dia 15 de novembro.
De acordo com Rodrigo Hajjar, gerente de Meio Ambiente da Sanasa, tanto o Grupo RAC quanto a empresa de economia mista, com 99% do controle acionário sob posse da Prefeitura, têm papel de liderança na condução de políticas e informação para o desenvolvimento sustentável. “No momento em que nós reconhecemos e induzimos atividades nesse sentido, estamos fortalecendo essa construção de uma sociedade mais sustentável, com atividades inovadoras, frutíferas e que visam atender o futuro das novas gerações”, define.
Premiação
Serão três iniciativas premiadas nas duas categorias, totalizando seis premiados, que receberão troféus. Entre os critérios avaliados estão o impacto gerado na área ou região, quanto a contribuição para o desenvolvimento sustentável. A premiação deve ocorrer no dia 4 ou 5 de dezembro, no auditório da Sanasa.
Ao longo desses anos, já foram divulgadas mais de 250 ações, no entanto, o alcance é incalculável, tendo em vista o número de pessoas e instituições envolvidas, além das futuras gerações, que vão colher os frutos das ideias e intervenções executadas no período.
Júri
O comitê avaliador das ações é técnico e formado por profissionais, professores e autoridades ligadas ao meio ambiente. São três indicados pelo Grupo RAC e três pela Sanasa. Ao longo do projeto será feita reportagem informando quem é cada um deles e os respectivos currículos.
Avaliações
Nelson Homem de Mello, diretor Editorial do Grupo RAC, ressalta que a parceria tem servido para despertar na população a compreensão da importância da preservação ambiental, além de inspirar o terceiro setor e as pessoas de forma geral a encontrarem fórmulas criativas e efetivas de preservação.
“O tema sempre foi relevante, mas de uns anos para cá a discussão tem crescido em função dessa compreensão pelas pessoas. Os cidadãos comuns achavam que não tinham responsabilidades com o meio ambiente, que isso era problema do Estado. E não é. As coisas se resolvem com mais facilidade com a participação de todos, mesmo que seja no sentido de cobrar providências do Poder Público”, diz.
Secretário
O secretário do Verde de Campinas, Rogério Menezes, afirma que o projeto e a parceria já estão consolidados e dando bons frutos. Principalmente, ao incentivar as organizações não governamentais e também o Poder Público dando visibilidade aos projetos executados.
“Isso faz com que as ações se fortaleçam e a sociedade conheça as ações que estão sendo realizadas. Gera uma corrida do bem em favor da sustentabilidade”, comemora.

Escrito por:

Francisco Lima Neto