Publicado 18/05/2019 - 02h00 - Atualizado 17/05/2019 - 18h38

Por Carlo Carcani Filho


Contratado pelo Manchester City em 1º de fevereiro de 2016, Pep Guardiola pode conquistar hoje, três anos, três meses e 17 dias depois, seu sexto título pelo clube. Bicampeão inglês, bicampeão da Copa da Liga Inglesa e campeão da Supercopa da Inglaterra, o treinador espanhol comanda a equipe hoje na final da Copa da Inglaterra, contra o Watford.
Favorito claro (conquistou quase o dobro dos 50 pontos somados pelo adversário no Inglês), o Manchester City pode conquistar o torneio pela sexta vez em sua história. O último foi em 2011. Os outros quatro, entre 1904 e 1969.
Como se vê, a conquista, se confirmada, será importante na história do clube. O bicampeonato inglês conquistado no último domingo também é digno de nota. Desde 2009 um clube não conseguia ser campeão em duas temporadas consecutivas. E o City o fez de forma incrível, nem tanto pelos impressionantes 98 pontos, mas principalmente pela inacreditável reação contra um adversário tão forte como o Liverpool.
No dia 26 de dezembro, o time de Jurgen Klopp goleou o Newcastle por 4 a 0 e, beneficiado pela derrota do City para o Leicester, abriu sete pontos de vantagem na liderança da Premier League.
Não é um diferença impossível de ser eliminada em pouco mais de quatro meses, mas como fazer isso diante de um adversário que, invicto há 17 jogos, venceu os últimos nove jogos do campeonato?
O Manchester City de Guardiola conseguiu. Para isso, teve que vencer suas últimas 14 partidas. Com apenas um empate nesse caminho, a taça da Premier League estaria hoje no Anfield Road.
O trabalho é fantástico e não é por obra do acaso que Guardiola luta hoje pelo 27º título de sua carreira de treinador. Ainda assim, é contestado aqui e ali porque ainda não foi campeão da Liga dos Campeões com o clube inglês e nem com o Bayern, seu time anterior.
Dois aspectos precisam ser levados em consideração nesse caso. O primeiro é que o time foi eliminado por um detalhe, em um confronto emocionante com o Tottenham. No Inglês, o City fez 27 pontos a mais do que o clube inglês. Mas na Champions foi eliminado com um gol duvidoso de Llorente. Acontece, principalmente em torneios de mata-mata.
Todo clube que investe na contratação de um treinador desse nível quer ganhar a Liga dos Campeões. Guardiola o fez “apenas” duas vezes. O fato de ainda não ter repetido o feito fora do Barcelona não significa nada. Quem apostar em sua capacidade vai conquistar, cedo ou tarde, a taça mais cobiçada pelos gigantes do futebol europeu.

Escrito por:

Carlo Carcani Filho

×