Publicado 17/05/2019 - 02h00 - Atualizado 16/05/2019 - 19h56

Por Carlo Carcani Filho


Depois de uma largada ruim, a Ponte Preta terá uma grande chance de se recuperar nas duas próximas rodadas da Série B. Com jogos seguidos em casa diante de Operário (9º colocado) e Paraná (8º), a Macaca poderá dar um salto na tabela se for capaz de cumprir a obrigação de somar seis pontos diante de seus torcedores.
Para isso, o time de Jorginho terá que começar a reverter uma estranha tendência da Série B 2019. Nos primeiros 32 jogos do campeonato, os mandantes venceram apenas 34% dos jogos. É muito pouco.
Só para comparar, na quatro rodadas iniciais da Série A os donos da casa levaram os três pontos em 55% dos 40 confrontos. E nas três primeiras rodadas da Série B de 2018, os mandantes venceram nada menos do que 63% dos confrontos. É quase o dobro do aproveitamento atual.
Até o momento, apenas 11 times ganharam em casa no campeonato. A Ponte Preta teve tudo para entrar na lista, mas cedeu o empate ao Criciúma nos minutos finais da partida. Hoje, precisa colocar os três pontos no bolso.
É improvável que o aproveitamento dos mandantes continue tão baixo nas próximas rodadas. Acredito que os números dos primeiros 32 jogos não indicam uma tendência do que será a competição.
Acredito que essa marca incomum tenha sido provocada pelo enorme equilíbrio entre as equipes. Os visitantes de um modo geral se apresentam com uma postura bem cautelosa. E os times da casa não estão tendo qualidade para furar esse bloqueio. Com times de nível técnico semelhante, quem tenta propor o jogo encontra uma dificuldade muito maior do que aquele que prioriza a defesa.
O alto número de empates (14) reforça esse análise, inclusive com os resultados. Apenas um deles foi por 2 a 2. Os outros 13 foram por 0 a 0 ou 1 a 1.
A Ponte Preta tem condições de melhorar o desempenho dos mandantes. Sem perder no Majestoso desde setembro, tem uma defesa consistente quando atua diante de sua torcida. A baixa produtividade ofensiva é um problema que se agravou com as dispensas dos atacantes Júlio César, que foi para o Botafogo de Ribeirão Preto, e Renato Kayser, agora na Chapecoense.
Mas o técnico Jorginho terá que se virar com o que tem em mãos até que a diretoria complete a reformulação fora de hora do elenco. A Ponte precisa vencer os dois jogos em casa para não chegar à parada da Copa América muito distante de seu objetivo. O campeão da Série D de 2017 e da Série C de 2018 será seu primeiro desafio.

Escrito por:

Carlo Carcani Filho