Publicado 30/04/2019 - 09h52 - Atualizado 30/04/2019 - 09h52

Por Paulo Santana

O lateral-esquerdo Diego Renan tenta cortar cruzamento do Coritiba durante a derrota de ontem da Ponte Preta no Couto Pereira

Joka Madruga/EC

O lateral-esquerdo Diego Renan tenta cortar cruzamento do Coritiba durante a derrota de ontem da Ponte Preta no Couto Pereira

Jogando no Estádio Couto Pereira lotado por conta de uma série de homenagens ao ídolo paranaense Dirceu Krüger, o Flecha Loira, morto na semana passada, a Ponte Preta não conseguiu criar e acabou derrotada pelo Coritiba, por 2 a 0 (gols de Rodrigão na etapa inicial), pela rodada da abertura da Série B do Campeonato Brasileiro. Além de não chegar ao ataque com eficiência, a Macaca teve um pênalti perdido pelo atacante Thalles.
Agora, as atenções se voltam para o jogo com o Criciúma, quinta-feira, às 21h, no Estádio Moisés Lucarelli. A Ponte teve duas ausências de última hora. O volante Edson, que seria titular, sofreu um trauma na costela durante o treino de domingo e sequer viajou. O meia-atacante Giovanni, que deveria iniciar a partida, foi vetado por conta de problemas intestinais.
O meia Tiago Real, que está de saída do clube, foi outro desfalque da Macaca. O técnico Jorginho, que se recuperou de uma virose, relacionou o meia Alex Maranhão e o atacante Facundo Batista, que fez sua estreia entrando na etapa final.
O jogo foi agitado. De um lado, o Coritiba animado com a presença em massa de seu torcedor. Do outro, a Ponte sem conseguir encaixar seu jogo.
A superioridade paranaense se viu logo no começo. Em uma tentativa de cortar um chute na área, Diego Renan desviou a bola com a mão e o juiz marcou pênalti. Rodrigão bateu bem no canto direito e fez 1 a 0, aos 19'. Ivan até saltou bem e tocou na bola, mas não conseguiu salvar.
O segundo gol aconteceu depois de uma grande jogada do atacante Rodrigão. Após batida de falta, ele recebeu na área e com leve toque tirou três jogadores da Ponte para ficar cara a cara com Ivan e fazer 2 a 0. O gol surgiu quando a Macaca começava a tomar as iniciativas no ataque.
Depois do segundo gol, a defesa campineira começou a “bater cabeça” e quase tomou o terceiro aos 40' quando Patrick escapou pela esquerda. Ele driblou Renan Fonseca com facilidade e só não marcou porque tirou demais do alcance de Ivan e a bola passou raspando a trave.
O panorama não foi alterado para o segundo tempo. Logo aos 2', Rodrigão foi lançado em profundidade, deu um toque por cima de Ivan. O goleiro desviou com leve toque fazendo o suficiente para evitar o terceiro gol do Coxa.
O Coxa pressionava e, aos 13', Rodrigão – de novo ele – cabeceou com precisão e acertou o travessão da Ivan. No minuto seguinte, Luiz Henrique bateu escanteio e quase marcou gol olímpico. Ivan interrompeu outra chance real de perigo.
A Ponte só conseguiu atacar nos minutos finais, mas já não tinha forças para conseguir buscar o empate. Na sua melhor chance, Thalles cobrou pênalti sofrido por Diego Renan.
FICHA TÉCNICA
CORITIBA 2
Wilson; Diogo Mateus, Alan Costa, Romércio e Fabiano; Vitor Carvalho, Luiz Henrique (Arancibia, 42'/2º), Thiago Lopes (Elyezer, 23'/2º) e Patrick; Welinton Júnior (Lucas Tocantins, 33'/2º) e Rodrigão. Técnico: Umberto Louzer.
PONTE PRETA 0
Ivan; Arnaldo, Renan Fonseca, Reginaldo e Diego Renan (Abner, 30'/2º); Gerson Magrão, Nathan e Matheus Vargas (Facundo Batista, 27'/2º); Júlio César, Thalles e Renato Kayzer (Mateus Oliveira, 17'/2º). Técnico: Jorginho.
Gols: Rodrigão aos 19' e aos 36' do primeiro tempo. Local: Estádio Couto Pereira. Público: 31.167. Renda: R$ 312.000,00. Juiz: Ronei Candido Alves (MG). Cartões amarelos: Gerson Magrão, Renato Kayzer, Matheus Vargas e Nathan (PON); Luiz Henrique e Fabiano (COR).

Escrito por:

Paulo Santana