Publicado 28/04/2019 - 12h44 - Atualizado 28/04/2019 - 12h47

Por Estadão Conteúdo

Valtteri Botas venceu o GP de Azerbaijão

Srdjan Suki / AFP

Valtteri Botas venceu o GP de Azerbaijão

Dominante, a Mercedes conquistou neste domingo um feito inédito na Fórmula 1. Valtteri Botas venceu o GP de Azerbaijão, Lewis Hamilton chegou em segundo e, assim, a equipe emplacou a sua quarta dobradinha seguida na temporada, feito que nenhuma outra escudeira conseguiu na história da categoria, iniciada em 1950.
Na prova passada deste Mundial, realizada na China há duas semanas, a escuderia das "Flechas Prateadas" já protagonizou uma grande façanha ao repetir o que não ocorria na F-1 desde 1992, quando a Williams, com Nigel Mansell e Riccardo Patrese, teve os seus dois pilotos nos dois principais postos do pódio nos três primeiros GPs daquele campeonato.
Caso conquiste o Mundial de Construtores deste ano, a Mercedes também vai igualar um feito expressivo da Ferrari, que é o de vencer por seis anos consecutivos essa disputa por equipes da F-1. Está no caminho, já que é líder disparada neste ano, com 172 pontos, contra 97 da Ferrari, a segunda, e 63 da Red Bull, que aparece no terceiro posto.
Para garantir esse marca histórica à Mercedes, Bottas fez uma corrida segura. O finlandês largou na pole, manteve o seu companheiro Lewis Hamilton sob controle até o final e virou a estrela, transformando a decepção da temporada passada em alegria neste ano ao assumir a ponta do Mundial de Pilotos, com 87 pontos, um a mais que Hamilton e bem à frente de Vettel, o terceiro, com 52, e Vestappen, o quarto, com 51. Foi sua quinta vitória na Fórmula 1 e a segunda nesta temporada.
"Foi uma corrida difícil, embora talvez não muito acontecendo na frente, Lewis estava colocando pressão sobre mim o tempo todo. Eu fiquei feliz em ver a bandeira quadriculada e levar este primeiro lugar", celebrou Bottas.
Sem forças para atacar os rivais da Mercedes, o alemão Sebastian Vettel colocou a Ferrari na terceira posição e completou o pódio O holandês Max Verstappen, da Red Bull, chegou em quarto, e Charles Leclerc, frustrado por ter perdido a pole e largado só em oitavo - fez o décimo melhor tempo no treino, mas se beneficiou das punições a Raikkonen e Giovinazzi - após um erro no treino de classificação, chegou em quinto.
O jovem monegasco fez uma ótima primeira metade de corrida com um ritmo muito forte e chegou a se postular como candidato ao triunfo ao liderar a prova quando Bottas e Hamilton foram aos boxes, mas o seu carro perdeu força com pneus macios. Como prêmio de consolação, Leclerc fez a volta mais rápida da pista: 1min43s009.
O mexicano Sergio Pérez, que largou em quinto no grid, terminou em sexto, seguido de Carlos Sainz Jr, em sétimo, e Lando Norris, em oitavo, que colocaram os dois carros da McLaren na zona de classificação. Lance Stroll, nono colocado com a Racing Point, e Kimi Raikkonen, décimo com a Alfa Romeo, fecharam o grupo dos dez primeiros.
Ao contrário do que acostuma ocorrer em no traçado de rua de Baku, neste domingo não houve acidentes impactantes. Ocorreu apenas uma situação envolvendo Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat. O australiano deu ré no carro do russo enquanto os dois estavam na área de escape. Pierre Gasly e Romain Grosjean também abandonaram a prova.
A próxima corrida da Fórmula 1 será realizada daqui a duas semanas em Barcelona, na Espanha.
Confira a classificação do GP do Azerbaijão:
1) Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), 1h31min52s942
2) Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 1s524
3) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 17s493
4) Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 27s627
5) Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 1min09s107
6) Sergio Pérez (MEX/Racing Point), a 1min16s416
7) Carlos Sainz Jr (ESP/McLaren), a 1min23s826
8) Lando Norris (ING/McLaren), a 1min40s268
9) Lance Stroll (CAN/Racing Point), a 1min43s816
10) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta
11) Alexander Albon (TAI/Toro Rosso), a uma volta
12) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta
13) Kevin Magnussen (DIN/Haas), a uma volta
14) Nico Hülkenberg (ALE/Renault), a uma volta
15) George Russell (ING/Williams), a duas voltas
16) Robert Kubica (POL/Williams), a duas voltas.
Abandonaram a prova:
17) Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)
18) Daniel Ricciardo (AUS/Renault)
19) Pierre Gasly (FRA/Red Bull)
20) Romain Grosjean (FRA/Haas)

Escrito por:

Estadão Conteúdo