Publicado 27/04/2019 - 19h23 - Atualizado 27/04/2019 - 19h23

Por Paulo Santana

O meia Giovanni teve uma sequência boa de treinamento na avaliação da comissão técnica e pode aparecer como titular com liberdade para atacar

Denny Cesare/EC

O meia Giovanni teve uma sequência boa de treinamento na avaliação da comissão técnica e pode aparecer como titular com liberdade para atacar

Coritiba e Ponte Preta se enfrentam nesta segunda-feira (29), às 20h, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba, no encerramento da primeira rodada da Série B do Brasileiro. Além da dificuldade natural de encarar um adversário de tanta tradição, a Macaca terá de superar o incentivo dos 30 mil torcedores que deverão lotar as arquibancadas. Dirceu Krüger, o maior ídolo do Coxa, morreu na quinta-feira e será homenageado durante a partida.
A diretoria paranaense distribuiu ingressos grátis para todos os setores do estádio e houve filas nas bilheterias durante todo o dia de ontem. “Temos capacidade para começar bem porque jogador gosta de jogar com o estádio lotado”, destacou o auxiliar-técnico Luiz Fernando Iubel. “Vamos respeitar o luto do Coritiba, mas não podemos entrar nessa. Temos de ir lá para ganhar. Não preparamos o time apenas para o jogo com o Coritiba, mas para a competição inteira.”
Foi ele quem comandou as duas últimas atividades da equipe pontepretana porque o “titular” Jorginho estava em processo de recuperação de uma virose. “É importante ter uma boa arrancada porque isso aumenta o nível de confiança do elenco. Todos sabem da responsabilidade que é representar a Ponte e estamos cientes de que não teremos uma sequência fácil até a parada para a Copa América”, completa, lembrando que a meta é terminar este período no G4, brigando na parte de cima da tabela.
Apesar da ausência nos treinamentos mais importantes e decisivos, Jorginho deverá estar em campo amanhã e ainda não definiu se vai optar por uma formação mais compactada no meio-campo ou mais ofensiva.
Matheus Vargas, que não joga desde o Dérbi (dia 16 de março) devido a uma lesão na coxa, está à disposição e deve ser titular. “Faz uma semana que estou treinando com o elenco normalmente, sem as dores na coxa que vinham incomodando. Espero chegar ainda melhor na segunda-feira (amanhã). Agora é buscar meu espaço novamente no time e reconquistar a confiança do grupo”, comentou o camisa 10.
A única dúvida fica entre Giovanni, que seria um meia com liberdade para atacar, e Renato Kayzer, que entraria como atacante de lado, formando o trio com Júlio César e Thalles.
“O Giovanni vem em uma sequência boa de treinamentos. Entendemos que é possível aproveitar o melhor potencial ofensivo dele. Mas também vamos avaliar de colocar o Kayzer para termos o contra-ataque”, ressalta Iubel, que ainda não conta com o meia Rafael Longuine, em processo de recondicionamento físico. O restante do elenco está todo à disposição da comissão técnica.

Escrito por:

Paulo Santana