Publicado 04/04/2019 - 07h47 - Atualizado 04/04/2019 - 07h47

Por Alenita Ramirez

Moradores do Parque Via Norte relatam que tem visto assombrações

Matheus Pereira/Especial para a AAN

Moradores do Parque Via Norte relatam que tem visto assombrações

A suposta aparição de uma “menina” na Praça Orlando Vagli, no Parque Via Norte, em Campinas, amedrontou motoristas de ônibus e despertou a curiosidade das pessoas. O local serve como ponto final das linhas 253 e 255 (Parque Via Norte/Swift e Parque Via Norte/Terminal Mercado, respectivamente) e é onde os motoristas param para fazer as refeições. A praça conta com parquinho infantil e uma academia ao ar livre.
A aparição da garota foi flagrada por um motorista de ônibus
O “fantasma” da criança, que teria entre 8 e 10 anos, teria aparecido há cerca de dois meses, após as 22h. No entanto, em uma das primeiras visualizações, um dos motoristas teria registrado a presença do vulto no local. As imagens foram postadas nas redes sociais, junto com os relatos do fato e viralizaram. O primeiro vídeo, postado no dia 24 de março, teve mais de 39 mil visualizações e cerca de 3,6 mil curtidas.
Ao menos quatro motoristas teriam testemunhado a aparição, em horários distintos e na mesma noite. A praça fica em um local iluminado, mas em um dos lados não há residências, já que existe o barranco de acesso à Anhanguera. Pelas declarações dos motoristas, o primeiro a ter visto a “garotinha” estava na calçada e viu a menina vestida de branco, mexendo em um dos equipamentos de ginástica. O motorista teria perguntado onde estava a mãe dela, mas a “garotinha” foi até uma lixeira e em seguida sumiu.
De acordo com colegas de trabalho, esse motorista ficou assustado e alertou o inspetor de trânsito. Ele foi ao local, não viu a “menina”, mas houve um fato inusitado: o pisca-alerta do ônibus acionou sozinho.
“Esse motorista não para mais aqui e chegou a pedir para ser transferido de linha”, contou o motorista Davi Ferreira da Silva, que está na profissão há 21 anos e há quase dois anos na linha 253. “O Luis ficou muito assustado. Eu não acredito, mas também não duvido. Uns dias antes do relato do Luis, estava aqui, me exercitando, quando vi a roda de um dos equipamentos se mexer sozinha”, disse Silva.
Ainda segundo relatos, um outro motorista teria seguido a menina para ver onde ela teria ido, mas a perdeu de vista. Um terceiro motorista, que fez as imagens, se trancou no ônibus de medo.
Em razão do compartilhamento das imagens, uma das pessoas acionou a caçadora de fantasma, Rosa Jaques, que esteve no local e, em vídeo, afirma que lá existe sim a presença de espíritos. “Eu nunca vi nada de anormal. Moro aqui há 15 anos”, disse um morador.
Verdade ou não, alguns motoristas estão evitando fazer a parada perto da praça. De acordo com eles, há relatos de que há muitos anos uma mãe teria matado sua filha e sumiu com o corpo dela. Horas depois a mãe se matou. Nesta semana, o local virou ponto de visitação de curiosos, que visitam a praça à noite à espera do fantasma.
"É preciso investigar todas as causas materiais"
Para o colaborador do Centro Espírita Allan Kardec, Alexandre Fontes da Fonseca, antes de confirmar se o relato é realmente um fenômeno espiritual, é necessário investigar. Segundo ele, somente a visão e o relato de poucas pessoas não permitem confirmar que se trata de um fenômeno sobrenatural. “É preciso investigar todas as causas materiais até se esgotar as possibilidades. É preciso, também, verificar se a visão se repetiu por outras vezes. Deve-se apurar, também, as possíveis razões para o efeito mecânico no ônibus.
Outra informação importante é verificar junto à vizinhança se há crianças, qual a idade e hábito dessas crianças em brincar de noite, ver a insistência desse fenômeno. Às vezes pode ser uma brincadeira de mau gosto de alguém, ou simples coincidência. Houve uma criança na primeira vez que, ágil, fugiu com medo do motorista”, disse.
“Quando se esgotar todas as explicações normais aí sim começamos a pensar que o fato pode ter origem espiritual. A doutrina espírita prevê a possibilidade de fenômenos de aparição ou tangibilidade, mas orienta investigar a fundo antes de atribuir causas espirituais à aparição”, acrescentou.
Segundo Fonseca, a visão de uma pessoa ou de algo que pode gerar a ideia de um fantasma pode estar relacionada a uma ilusão de ótica ou a presença de um animal. "Segundo a Doutrina Espírita, espíritos existem em todos os lugares, então não há razão para temer. E a Doutrina diz mais: que devemos temer mais os ‘vivos’ ou ‘encarnados’ do que os ‘mortos’", frisou Fonseca.

Escrito por:

Alenita Ramirez