Publicado 28/04/2019 - 01h00 - Atualizado 26/04/2019 - 21h13

Por Carlo Carcani Filho


Sob nova direção, a CBF tomou decisões e fez anúncios importantes para o desenvolvimento do futebol brasileiro. Uma das novidades é a nomeação de Leonardo Gaciba para a presidência da Comissão Nacional de Arbitragem. O ex-comentarista da TV Globo começou muito bem ao solicitar à Fifa autorização para que as novas regras que serão colocadas em prática no mundo todo a partir de 1º de junho já sejam utilizadas nas quatro divisões do Campeonato Brasileiro a partir deste final de semana.
A CBF poderia esperar até  junho ou adiar a mudança para janeiro de 2020. As duas opções seriam péssimas. A primeira por mudar as regras com competições em andamento. E esperar até o ano que vem para adotar mudanças benéficas para o futebol seria um desperdício de tempo.
Algumas mudanças vão aumentar o tempo de bola rolando das partidas. A mais importante delas é que, nas substituições, o jogador tem que deixar o gramado pela linha mais próxima. Ele não precisa mais (na verdade, não pode) ir até o meio de campo para sair do gramado. Essa é uma velha artimanha utilizada por atletas e treinadores para fazer cera.
Outra mudança muito importante é que jogadores do time que vai cobrar uma falta não podem mais ficar empurrando adversários na barreira e nem mesmo se posicionar ao lado dela para atrapalhar a visão do goleiro.
Essa mudança também vai proporcionar ganho de tempo (o jogo demora para recomeçar enquanto eles ficam se empurrando) e deixará as cobranças de falta mais limpas.
Além dessas e de outras cinco mudanças, a grande novidade será a utilização do VAR nas 380 partidas da Série A.
Nesse ponto, o trabalho de Gaciba será muito importante. É fundamental que o protocolo do VAR seja seguido de modo uniforme em todas as partidas. E que, o mais rápido possível, os árbitros de campo e de vídeo se entrosem para que as partidas não sejam paralisadas por tanto tempo, como vimos em alguns jogos dos estaduais.
Gaciba terá que coordenar esse trabalho, corrigindo e orientando muito bem a sua equipe. A cobrança sobre a arbitragem será enorme se os erros graves que vimos recentemente se repetirem em um campeonato com dez jogos por rodada, todos com VAR.
O desafio de Gaciba será liderar uma equipe capaz de fazer um trabalho uniforme, utilizando sempre os mesmos critérios. Isso só será possível se o protocolo do VAR for seguido à risca. Gaciba começou bem e de seu sucesso depende também o sucesso do Brasileirão.

Escrito por:

Carlo Carcani Filho