Publicado 12/04/2019 - 06h00 - Atualizado 10/04/2019 - 12h26

Por Do Correio

Tradicional estabelecimento de ensino de Campinas, Colégio

Reprodução

Tradicional estabelecimento de ensino de Campinas, Colégio "Culto à Ciência"

CULTO À CIÊNCIA: 96 ANOS PELO ENSINO
O dia de amanhã marca o 96.o aniversário de fundação do Colégio Estadual "Culto à Ciência". Mas o programa comemorativo será, desenvolvido hoje: na primeira parte, às 8 horas, na Praça Aníbal de Freitas, hasteamento da Bandeira, alocução pelo prof. José Alexandre dos Santos Ribeiro, palavra religiosa e hino do colégio; na segunda parte, às 8,33 horas, gincana no Ginásio de Esportes, seguindo-se futebol de campo e visitação público ao estabelecimento. O "Culto à Ciência" tem 96 anos inteiramente dedicados ao ensino e à cultura. No dia 13 de abril de 1873 foi lançada a pedra fundamental do edifício. Sua inauguração dar-se-á a 12 de janeiro de 1874.
 
BRASIL É GRANDE PRODUTOR DE AUTOMÓVEIS
Para participar de uma série de solenidades do mais alto significado econômico, o presidente Costa e Silva, acompanhado por ministros, passou o dia de hoje em São Paulo, onde chegou por volta das 10 horas. De Congonhas, o chefe da Nação, em companhia do governador do Estado e de outras altas autoridades, seguiu de helicóptero para o litoral norte, onde inaugurou a maior terminal da América Latina, do tipo marítimo, em São Sebastião. O terminal Almirante Barroso proporcionará economia de 50 milhões de cruzeiros antigos diários ao Brasil e pode receber petroleiros de até 115 mil toneladas. Apenas 15 homens são necessários para operar o equipamento do terminal.
 
ISRAEL REJEITOU PLANO DE HUSSEIN
Israel rejeitou hoje o plano de paz apresentado pelo rei Hussein da Jordania, classificando-o de uma cortina de fumaça. O monarca jordaniano disse que fala também em nome do presi-dente Nasser e da maioria dos países arabes. O plano prevê o reconhecimento do estado israelense e garante a Israel o uso do Canal de Suez e do porto de Acaba. Entretanto Hussein exige a devolução dos territórios ocupados durante a Guerra dos Seis Dias, a cessação das beligerancias, e o repeito à soberania dos países árabes. Israel continua por sua vez, a insistir no fato que as negociações de paz sejam feitas apenas com a presença nas mesmas de reuniões das partes em conflito.

Escrito por:

Do Correio