Publicado 25/03/2019 - 15h24 - Atualizado // - h

Por Kátia Camargo

Para quem gosta de passeios longe da agitação, o Vila Bela é uma opção suave e reconfortante

Kátia Camargo/AAN

Para quem gosta de passeios longe da agitação, o Vila Bela é uma opção suave e reconfortante

A aventura para desfrutar de um café da manhã rural do sítio Vila Bela, com direito a café passado no coador de pano, começa antes mesmo de chegar ao local. O percurso de 17 quilômetros da estrada de chão batido, que liga Joaquim Egídio a Pedreira, é bonito e inspirador. O passeio até a cozinha do sítio é um verdadeiro convite para fugir da agitação da região metropolitana sem sair de Campinas. O sonho de ter uma vida mais próxima da natureza fez com que Rogério Amante e Alessandra Paris deixassem o agito da cidade, os empregos em grandes empresas, e se mudassem para o local. Eles ainda resolveram compartilhar parte dessa vivência com outras pessoas ao abrirem o sítio, pelo menos duas vezes por mês, para receber amigos - novos e antigos – que queiram provar as delícias da roça.

O passeio é tão pitoresco que, para chegar ao local, o visitante abre duas porteiras, pacientemente, enquanto as vacas dão passagem ao carro, sem estresse. “Queremos que as pessoas tenham essa experiência de experimentar um verdadeiro café da manhã no sítio, como se estivessem na casa de um parente. Nosso espaço é rústico, os móveis foram garimpados e têm muita história para contar. Rogério faz questão de reformá-los e dá nova utilidade a cada um deles. Nosso principal ingrediente é preparar tudo com muito amor”, diz Alessandra.

A mudança radical trouxe para ela mais qualidade de vida e felicidade. “Antes eu vivia estressada, tinha pressão alta, não conseguia nem tempo para ir ao médico me tratar. Quando me mudei para o sítio comecei a fazer pães e bolos para vender na empresa em que trabalhava. As vendas acabaram virando nossa fonte de renda. Hoje, fazemos eventos, festas e cafés, sempre oferecendo comida de qualidade e com ingredientes mais frescos e naturais. Resolvi viver uma vida mais natural e isso me trouxe felicidade”, comenta.

Sempre sorridente, Alessandra lembra ter se dado conta que tinha largado de vez o trabalho na área financeira quando se viu fazendo cursos de panificação e confeitaria.

No sítio a rotina começa cedo. Alessandra e Rogério acordam por volta das 4h da manhã para dar conta de preparar os cofee-breaks empresariais. Enquanto ela faz aos pães, ele prepara os bolos. Tudo feito no dia, para ficar bem fresquinho e saboroso.

No sítio, os pães, bolos e doces caseiros enchem os olhos e saciam o apetite dos visitantes. Na mesa farta é possível provar pães caseiros simples ou recheados com linguiça, queijo e presunto, torta salgada, pão de queijo e muitas outras iguarias. De vez em quando, Rogério passa nas mesas e oferece uma linguicinha recém-saída do fogão a lenha. “Experimenta com pão de queijo, fica uma delícia”, ou então dá dicas para saborear o pão australiano, os bolos, os pães doces e mesmo um omelete caipira feito na hora.
No cardápio, o visitante também pode experimentar outras delícias, como cinnamon roll (pão doce macio, recheado com canela, açúcar e margarina), cheese-cake de goiaba, pudim de leite condensado, arroz doce, canjica, sagu, bolo de fubá, de chocolate, de milho, de mandioca. Com tantas ofertas, o difícil é conseguir provar todas as opções em um único dia. Com certeza, é preciso voltar outras vezes.

Rogério, que também era do mundo corporativo, se reinventou no sítio. Ele trabalhava como tradutor, mas no fundo é um professor Pardal. Está sempre se reciclando, consertando um forno industrial garimpado e bem potente, fazendo os lustres que ficam na varanda, desenvolvendo objetos para a casa, ou começando uma produção de cogumelos. Ou seja, história para contar eles têm. E muitas. “No fundo, buscamos viver bem e tentamos ser pessoas melhores a cada dia”, resume
Novos e velhos amigos
A dentista Gláucia Cosentino Brites, 49 anos, começou a consumir os produtos feitos pelo casal e se encantou com os sabores. Ela mora no bairro Taquaral e frequenta com assiduidade os cafés no sítio com os filhos Eduardo, 21 anos, e Matheus, 13 anos. “São momentos deliciosos que passamos aqui. Além de tudo ser muito saboroso, o trajeto para chegar ao sítio faz bem aos olhos e as conversas são ótimas. É tão acolhedor que ao chegar vou atrás da Alessandra na cozinha para falar pelo menos um oi”, conta.

Pámela, e Paula Ponce (36 e 56 anos), Rogério e Camile Vieira (36 e 12 anos), e Maxiwel Santos, 35 anos, visitam o local pela primeira vez e saem encantados. Além de saborear o café, todos aproveitam para observar o visual inspirador que o sítio tem. Basta subir em umas pedras para apreciar de longe as casas de Campinas. “É muito mais que um café, é um momento de se conectar com a natureza, com as pessoas. Eles realmente sabem receber, me sinto em casa”, destaca Pámela. Camile, a caçulinha da turma, completa: “A gente sai do mundo virtual para curtir a natureza”.

Receita

Bombocado de mandioca

Ingredientes
- 3 ovos
- 500 gramas de mandioca crua ralada
- 200 gramas de queijo parmesão ralado
- 200 gramas de coco ralado fresco ou seco
- 1/2 litro de leite
- 1 colher bem cheia de margarina
- 3 xícaras (chá) de açúcar

Modo de preparo
Ralar a mandioca no ralo fino, lavar e apertar até deixar bem sequinha. Em uma tigela bater os ovos, a mandioca ralada, o coco, o queijo, o leite, a margarina e as três xícaras de açúcar. Misturar até obter um creme homogêneo. Untar uma forma média com margarina e salpicar açúcar. Colocar o creme e levar ao forno médio por aproximadamente 45 minutos ou até que esteja dourado por cima. Retirar do forno e deixar esfriar para desenformar. Polvilhar coco ralado para decorar.


ONDE?

Café no sítio Vila Bela
Próxima data: todos os finais de semana, mas antes é necessário reservar o lugar
Estrada do Feliciano, Campinas

Escrito por:

Kátia Camargo