Publicado 11/03/2019 - 16h08 - Atualizado // - h

Por Da Redação da Metrópole

O fisioterapeuta Humberto Akira Takahashi aplica a técnica Integração Postural por Terapia Manual em paciente: alívio

Divulgação

O fisioterapeuta Humberto Akira Takahashi aplica a técnica Integração Postural por Terapia Manual em paciente: alívio

Queixa comum entre os idosos, a artrose é considerada a doença do século, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, e a principal causa de restrição e qualidade de vida da população acima de 65 anos. Estudos americanos apontam que mais de 50 milhões de pessoas apresentam a enfermidade. No Brasil, não existem dados precisos sobre esta prevalência, mas sabe-se que entre os idosos há evidência radiográfica da doença, embora apenas parte dessas pessoas desenvolva os sintomas. “É uma doença articular degenerativa progressiva reumática, com alterações ósseas, os chamados bicos de papagaio”, explica o fisioterapeuta Humberto Akira Takahashi, formado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), que desenvolveu a técnica HAT-IPTM (Integração Postural por Terapia Manual).

De acordo com Takahashi, a doença pode ser dividida em primária (sem causa conhecida) ou secundária (com causa conhecida). “A primeira ocorre mais em idosos e a secundária pode ocorrer em qualquer idade, podendo afetar qualquer articulação e de causas variadas, como sobrepeso, hipotireoidismo, traumatismo articular e diabetes”, diz Takahashi. Um dos principais sintomas é a dor nas juntas. O incômodo nas articulações começa mais leve e melhora com o repouso. Mas, progride para uma dor profunda, mesmo estando em repouso. “Pode ser acompanhada de rigidez ao levantar-se pela manhã, há diminuição dos movimentos, crepitações nas articulações, instabilidade e inchaços”. Por se tratar de uma doença crônica e progressiva,que pode levar a limitações nas tarefas diárias, o seu tratamento deve ser iniciado o quanto antes e de forma individualizada.
O tratamento com a técnica HAT-IPTM tem efeito benéfico na artrose, visando aliviar as dores, aumentar a mobilidade e normalizar as funções articulares. “Faço mobilizações nas articulações e nos tecidos moles, com movimentos de tração, com o objetivo de aumentar o espaço articular e promover a analgesia, melhorando assim o deslizamento de uma superfície articular sobre a outra”, explica o fisioterapeuta.
Takahashi afirma que, para um melhor resultado, é preciso unir exercícios terapêuticos como pilates clínico e musculação terapêutica para melhorar a mobilidade das articulações e promover o fortalecimento muscular. Além disso, o uso prolongado de analgésicos está associado com a progressão da artrose no joelho, e a perda de peso é considerada ferramenta essencial para a diminuição dos sintomas decorrentes da doença, prevenindo assim a sua evolução.

ONDE?
Humberto Akira Takahashi
Rua Dr. Miguel Penteado, 244, Jardim Chapadão, f (19) 32420509

Escrito por:

Da Redação da Metrópole