Publicado 15/03/2019 - 09h50 - Atualizado 15/03/2019 - 09h50

Por Carlos Rodrigues

Jogadores do Guarani acenam para torcedores que apoiaram o time no final da atividade de ontem no Brinco de Ouro: hoje a equipe treina fora de Campinas, em local não revelado

Letícia Martins/Guarani Press

Jogadores do Guarani acenam para torcedores que apoiaram o time no final da atividade de ontem no Brinco de Ouro: hoje a equipe treina fora de Campinas, em local não revelado

Já que não poderá estar presente no Moisés Lucarelli por determinação do Ministério Público, o torcedor do Guarani foi ontem ao Brinco de Ouro dar seu último apoio ao time antes do Dérbi 193, que acontece amanhã, às 19h, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Um grupo de cerca de 100 bugrinos acompanhou a parte final da última atividade realizada em Campinas e depois fez festa para jogadores e comissão técnica na saída do ônibus que levou a delegação para a concentração.
No treinamento, o técnico Osmar Loss montou a formação titular que vai a campo no clássico e, embora não tenha confirmado a escalação, deu a entender que a equipe não sofrerá modificações radicais.
A expectativa é por duas novidades. Na lateral-direita, Léo Príncipe está recuperado e deve ficar com a vaga do improvisado Fabrício Costa, enquanto Felipe Amorim volta a ganhar chance no lugar de Carlinhos. "É mais ou menos por aí, não tem muita surpresa, não", diz o treinador. "Estamos recuperando jogadores que estavam no departamento médico e vamos buscar a manutenção do que fizemos em todo o campeonato até esse momento".
Embora seja uma partida que mexa bastante com a cidade, o comandante bugrino evita pilhar o time nesses dias que antecedem o confronto. "Claro que, pela atmosfera, a semana se torna diferente. A gente procurou, dentro do nosso vestiário, entender a importância que isso tem dentro do campeonato para o Guarani, dentro da cidade para a torcida bugrina. Mas tentamos trabalhar com a consciência maior do que a emoção", destaca o treinador.
Loss também comentou sobre a medida de torcida única nos clássicos. Para ele, que já acompanhou isso de perto no ano passado, quando dirigia o Corinthians, o espetáculo fica incompleto. "Falta uma peça muito importante. No nosso caso, a mais importante, que é a torcida do Guarani", analisa. "A gente gostaria de dividir o estádio junto com a Ponte Preta de forma ordeira e pacífica. O que podemos garantir é que vamos ter esforço redobrado para compensar a ausência deles nas arquibancadas", completa.
Hoje à tarde, em local não divulgado pelo clube, acontece o último treinamento antes do Dérbi. E o Guarani também fica de olho na rodada, principalmente no jogo entre Santos e Novorizontino, às 20h30, no Pacaembu. Caso o time de Novo Horizonte não vença, o Bugre terá a chance de recuperar a segunda posição do Grupo B no sábado e, assim, depender apenas de si na última partida da fase classificatória, diante do Red Bull, na quarta-feira que vem.

Escrito por:

Carlos Rodrigues