Publicado 10/03/2019 - 06h00 - Atualizado 08/03/2019 - 14h33

Por Do Correio

José de Castro Mendes e H. Zambelli observam, interessados, o trabalho de artistas-mirins em Campinas

Reprodução

José de Castro Mendes e H. Zambelli observam, interessados, o trabalho de artistas-mirins em Campinas

INFÂNCIA E ARTE COMBINAM MUITO BEM
A maior contribuição da Arte no campo educacional foi a descoberta de criança criadora — dizem dois estudiosos Vitor D'Amíco e Allen Weller em um curto ensaio sôbre "A Aprendizagem da Criança Criadora". Já na década de 1920 começaram os educadores a se preocupar com a expressão pessoal e o desenvolvimento da personalidade, tomando, pois, novos rumos desde que antigamente a educação artística consistia sobretudo em exercícios formais de perspectiva, e no estudo da harmonia das côres. Pensava-se, então, que as crianças nada tinham para exprimir, e que, portanto, a primeira cousa a fazer-se era ensinar-lhe rudimentos da arte e as técnicas básicas do desenho.
 
IV CONGRESSO DE TEATRO AMADOR DO ESTADO
Portanto, dentre tantas dificuldades que se antepõe à atividade do teatro amador, a questão da SBAT é tema merecedor de maiores atenções. Não há nada que regulamente ou facilite o trabalho do amador nesse terreno. Apenas o interessado encontra da parte do representante da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais, boa vontade e espírito de colaboração. Mas, como o referido não pode modificar aquilo que é lei, o assunto morre na fonte. O amador que procure outra peça, e torça para que nenhum profissional se interesse pela sua apresentação na época em que es-tiver com ela no ponto de encená-la. Se não, terá que começar tudo de novo. É óbvio, o problema exige da entidade que apoia o movimento de popularização do teatro, estudo para encontrar medidas conciliatórias, que evitem o choque de interesses.
 
MAIOR NÚMERO DE HOMENS PARA A GUARDA-NOTURNA
Uma grande verdade que salta aos nossos olhos é a falta de homens que estão em nossas ruas, durante o período noturno, para dar proteção aos lares campineiros. Vistes homens, no reduzidíssimo número de 130, fazem parte da Guarda-Noturna de Campinas, órgão dirigido em nossa cidade pelo sr. Isnard Otranto e já não têm condições de oferecerem um policiamento intensivo à nossa cidade. porque esta demograficamente cresceu e a Guarda-Noturna continua com os mesmos homens de muitos anos atrás. Portanto. ha que se fazer um movimento agora. urgente.

Escrito por:

Do Correio