Publicidade

Publicado 11/02/2019 - 15h53 - Atualizado // - h

Por Da Redação da Metrópole

Cris Guerra embarca na aventura de lançar o quinto livro de sua carreira, o primeiro de crônicas

Divulgação

Cris Guerra embarca na aventura de lançar o quinto livro de sua carreira, o primeiro de crônicas

O livro Procurava o amor em jardins de cactos, de Cris Guerra, traz uma seleção de crônicas que têm o amor como tema. Comunicadora, escritora e autora do primeiro blog de looks diários do Brasil, o Hoje Vou Assim, Cris Guerra é o tipo de mulher que está sempre se reinventando, sem medo de arriscar. Empreendedora, ela embarca na aventura de lançar o quinto livro de sua carreira, o primeiro de crônicas. “Reuni textos que falam de amores variados: o amor romântico, o afeto entre amigos e família e até o amor próprio. Tudo se mistura em histórias de aprendizados, finais e recomeços”, diz.
Cris conta que o amor sempre foi um motor para sua escrita. Em 2010, ela começou a escrever na última página da Revista Encontro, até ser convidada para revezar com Luis Giffoni na revista Veja BH, onde escreveu durante os 3 anos em que a revista impressa circulou na capital mineira. Hoje, Cris está de volta à revista Encontro e escreve também nas revistas nacionais Pais&Filhos e Vida Simples. Também assina a coluna Inspiração na Rádio BandNews FM Belo Horizonte e viaja pelo Brasil ministrando palestras sobre comportamento, moda e maternidade. “Esses oito anos contam a minha história como cronista e também como pessoa: fui apurando a escrita e isso fica claro no livro. São pontos de vista sobre o amor que vão ficando mais maduros ao longo do tempo. Mas as crônicas não estão em ordem cronológica, e sim numa sequência que convida o leitor a passear por vários tipos de sentimentos e relações. Falo do amor homem-mulher, do amor do amigo, do afeto de pai, mãe, filho, irmão. Falo da perda do amor, das separações. Falo até sobre o amor próprio, que é um tema muito presente no meu trabalho como um todo”, adianta.
O título da obra foi extraído de um poema que Cris escreveu em meados de 2013. Como acontece sempre na carreira da autora, o trabalho também fala de histórias que viveu. “Acredito que o amor de verdade é simples. Talvez seja um sentimento um pouco menos romântico e complicado do que imaginamos. O título refere-se a essa insistência equivocada em rimar amor e dor”, afirma. 
Cris considera o lançamento desta nova obra um marco importante em sua carreira. “Acho que o leitor vai se identificar com essa busca cotidiana que todos temos. São caminhos delicados com os quais todo mundo se identifica. Todo mundo quer amor na vida”, finaliza.
“Acredito que o amor de
verdade é simples. Talvez
seja um sentimento um
pouco menos romântico e
CRIS GUERRA, autora

Escrito por:

Da Redação da Metrópole