Publicidade

Publicado 11/02/2019 - 14h32 - Atualizado // - h

Por Kátia Camargo

Gisele Foleis Bianchini, 33 anos: treino para enfrentar 42 quilômetros de corrida de rua começa cedo, com muita ingestão de água

Denny Cesare/AAN

Gisele Foleis Bianchini, 33 anos: treino para enfrentar 42 quilômetros de corrida de rua começa cedo, com muita ingestão de água

Nunca o campineiro sentiu tanto calor como neste Verão e a chuvinha dos últimos dias deu uma aliviada, já que muita gente não conseguia sequer praticar atividades físicas nos horários rotineiros, tamanha a indisposição provocada pelas altas temperaturas.
A especialista em recursos humanos Gisele Foleis Bianchini, 33 anos, sabe bem conta que, nas últimas semanas sentiu diferença até no rendimento, porque o ar fica mais seco e ela fica mais cansada. Ela se prepara para enfrentar 42 quilômetros de corrida de rua, sua primeira maratona. “Prefiro treinar bem cedo, de preferência quando o sol está nascendo ou opto por correr depois das 18h, quando a temperatura começa a melhorar”, diz.

Gisele conta que não abre mão do boné, protetor solar e muita água. “Procuro me hidratar bastante antes, durante e depois dos treinos. Também cuido bem da alimentação. Mas, gosto mesmo de treinar com a temperatura mais amena. Me sinto bem, canso menos e corro melhor”, completa.
Alberto Parin, 25 anos, que pratica ciclismo e corrida, mudou horário de treino por conta do calor: "Assim me sinto melhor"
O conferente Alberto Parin, 25 anos, que pratica ciclismo e corrida, conta que costumava treinar diariamente na Lagoa do Taquaral, por volta das 16h30. “Quando as temperaturas começaram a subir muito, imediatamente mudei o horário para 18h, porque assim me sinto melhor e consigo render mais nos treinos”, explica. Ele procura se hidratar muito, principalmente nos dias mais quentes.
Bárbara Lovato, dermatologista: "De nada adiante passar o protetor e ir ?fritar? no sol do meio-dia"
Bárbara Hartung Lovato, dermatologista com residência médica pelo Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, destaca que os cuidados com o filtro solar devem ser redobrados durante o Verão. “O filtro é necessário durante o ano todo, mas no Verão é importante lembrar que a radiação solar é mais intensa, em especial em nosso país. Assim, o filtro deve ser usado todos os dias, e não somente em momentos de lazer, como na piscina ou na praia”, destaca. Ela recomenda um protetor com fator 30 ou mais e que deve ser reaplicado a cada três horas no dia a dia, ou em intervalos menores. “Se transpirar muito ou entrar na água, é preciso reaplicar mais vezes. Como regra prática, sempre vale a pena reaplicar o protetor solar após um mergulho na piscina ou um banho de mar”, diz. 
Gabriela Bartholo de Meira Lins, 21 anos, estudante de educação física, tem ficado mais na piscina: "Não deixo de usar o filtro solar e evito o sol muito forte, pois chega uma hora que acaba incomodando"
A estudante de educação física Gabriela Bartholo de Meira Lins, 21 anos, conta que o calor das últimas semanas tem feito ela e família usar mais a piscina (que costuma ficar esquecida em boa parte do ano), mas destaca que escolhem sempre os horários da manhã para se refrescar. “Não deixo de usar o filtro solar e evito o sol muito forte, pois chega uma hora que acaba incomodando”, conta. Chapéus, bonés e muita hidratação também estão sempre presentes na lista de produtos que não podem faltar no calor.

A dermatologista Bárbara Lovato destaca que além do uso do protetor solar, é essencial evitar o sol nos horários de pico, ou seja, entre 10h e 16h. “De nada adiante passar o protetor e ir ‘fritar’ no sol do meio-dia. A exposição solar excessiva, em especial em horários em que o sol está muito forte, está relacionada tanto com o surgimento do câncer de pele quanto com o envelhecimento precoce, com surgimento de rugas, flacidez e manchas na pele”, diz.

Para a dermatologista, o uso de chapéu e camisetas ajudam na proteção contra a radiação solar. “Em relação ao chapéu, recomendo sempre aqueles com abas mais largas, que façam uma sombra maior, ou os modelos que também protejam a nuca”, exemplifica. As roupas devem ser de algodão ou com proteção contra a radiação. “Atualmente, muitas marcas já possuem essa tecnologia e são muito eficientes. Nunca esqueça os óculos de sol, que protegem tanto o olho quanto às pálpebras, uma pele sensível e com tendência à formação de rugas”, diz.

Hidratação sem moderação
As temperaturas mais quentes exigem hidratação redobrada. “A hidratação nessa época deve vir de dentro e de fora. Tanto por suarmos mais quanto pela prática dos banhos de piscina e de mar, a pele e os lábios tendem sim a ficar mais ressecados durante nessa época. Para contornar esse problema, recomenda-se ingerir muitos líquidos (água, água de coco e sucos de frutas) e usar cremes com alto poder de hidratação”, completa a dermatologista.

Cuidado com as manchas
De nada adianta ficar bronzeada e com a pele toda manchada.No consultório, a queixa mais comum nessa época do ano é sem dúvida a piora ou surgimento de manchas, em especial no rosto. “O melasma, muitas vezes conhecido como mancha da gravidez”, tende a piorar, pois tanto a radiação quanto o calor e a luminosidade levam ao seu escurecimento. Para essas pacientes, recomendamos o uso de filtro solar com fator superior a 50 e com cor. Atualmente, muitas marcas disponibilizam filtros que já possuem cor, que ajudam a prevenir e a disfarçar as manchas”, completa.

Escrito por:

Kátia Camargo