Publicado 17/02/2019 - 06h00 - Atualizado 15/02/2019 - 15h02

Por Do Correio

Tênis Clube Campinas programa o

Reprodução

Tênis Clube Campinas programa o "Carnaval do Hawai", uma sugestão para uso de trajes típicos

CARNAVAL NO HAWAI É O TEMA DO TÊNIS CLUBE
Depois do sucesso maior do III Carnaval e Gala e do "Carnaval Brasileiro", de ontem, a diretoria do Tênis Clube Campinas programou para amanhã, o "Carnaval do Hawai", uma denominação que é mais uma sugestão sem obrigatoriedade para uso de trajes típicos. À noite promete movimentação das maiores, principalmente quando se sabe que o Carnaval 69 do Tênis, está sendo um dos mais concorridos e animados de toda a cidade. A orquestra é a sempre boa de Silvio Mazzucca, índice de sucesso máximo, nas noites de folia tececista. Haverá premios para a mais bela havaiana, e para o grupo típico havaiano, sendo o juri constituido de elementos de real destaque. O ultimo dia, terça-feira, marca o Adeus Ao Carnaval, e a folia do Tênis Clube deve então alcançar seu ponto máximo com a temperatura aumentando a cada minuto para encerrar o período momístico do Tênis.
 
CARNAVAL É MAIS CARNAVAL NA RUA CONCEIÇÃO
O Carnaval da Rua Conceição já é sucesso, e isto bem pode ser sentido pela grande movimentação que já está reinando em todos os setores da cidade, com vistas as três noites de folia nas ruas, cuja abertura é hoje, em grande estilo, no palanque oficial da rua Conceição. Já às 19,30 horas, as primeiras escolas de samba, blocos, ranchos e cordões estarão se apresentando, entre outras os Acadêmicos de Madureira, Unidos de Vila Rica, e o sempre tão apreciado "Nem Sangue Nem Areia". O comando geral da cena estará a cargo do presidente da Comissão de Carnaval do Correi Popular, Célio Vilagelin, e tudo será transmitido para quem fica em casa, pelas Rádios Cultura e Brasil da organização irmãos Pedroso.
 
OS ATORMENTADOS 50 ANOS DA REPÚBLICA CHECOSLOVACA
"Os russos possuem as armas, nós possuimos a verdade". Com essas orgulhosas palavras os estudantes de Praga celebraram no dia 28 de outubro os cinquenta anos da fundação da República checoslovaca. Os carros armados soviéticos estavam prontos para intervir sufocar as manifestações exuberantes demais. Mas os estudantes reagiram dignamente evitando as provocações. O histórico checo Palacky escreveu que toda vez que o País venceu foi graças à superioridade do espírito, não pela força física. Foi vencido toda vez que lhe faltou a coragem moral, as ambições intelectuais.

Escrito por:

Do Correio