Publicidade

Publicado 15/02/2019 - 06h00 - Atualizado 14/02/2019 - 14h43

Por Do Correio

Futuros Guardinhas, garotos em treinamento. Lições de higiêne, formação pré-militar, disciplina e respeito

Reprodução

Futuros Guardinhas, garotos em treinamento. Lições de higiêne, formação pré-militar, disciplina e respeito

OS MENINOS DE AZUL SERÃO BONS CIDADÃOS AMANHÃ
O uniforme é alegre e está sempre alinhado e limpo. A côr azul celeste das blusas destaca-se como uma nota colorida e alegre onde quer que os meninos estejam. Calças escuras, cinturão de couro, quepe, substituído ultimamente pelo "bibi", sapatos bem engraxados — eis o uniforme discreto e funcional de uma, das figurinhas mais simpáticas da cidade: o Guardinha. Você por certo já lhe notou a presença em toda a parte: nas ruas levando recados, carregando embrulhos; nos bancos efetuando pagamentos; nos balcões das casas comerciais; nos elevadores, como ascensoristas; nas industrias: nos saguões dos prédios; nos super-mercados. O Guardinha já faz parte da paisagem humana de Campinas. É um garoto disciplinado, laborioso, honesto. Está sempre pronto a ajudar e a servir. Em suma, um rapazinho em quem você pode confiar.
 
DIREITO AGRÁRIO NA UNIVERSIDADE
 
O Direito Agrário vai ser disciplina nos currículos universitários. O ministro da Agricultura considera êsse nôvo ramo do Direito como consequência natural da evolução social do Brasil, a exemplo do que aconteceu em relação ao Direito do Trabalho e Eleitoral. Segundo ainda anunciou o ministro da Agricultura, vai ser institucionalizado o seguro de bens agropecuários dados em garantia de crédito rural ou financiamentos concedidos por órgãos públicos ou privado. Disse que a medida visa a garantia das atividades dos agricultores e pecuaristas, frizando que o projeto de institucionalização está em fase de estudos pelo govêrno. Após ter assinado importantes convenios em Belém e no Recife, o ministro Ivo Arzua, da Agricultura, retornou ao Rio.
 
JULGAMENTO DE CLAY SHAW NOS ESTADOS UNIDOS
Uma testemunha declarou ontem aqui, ante o tribunal que julga Clay Shaw, que ouviu quatro disparos no momento do assassinato do presidente John Kennedy, no dia 22 de novembro de 1963, em Dallas. A testemunha — Robert West, agrimensor — compareceu ante o tribunal a pedido do procurador, que acusa a Clay de ter participado de uma conspiração para assassinar Kennedy. A acusação tratou de provar, mediante êste depoimento, que Kennedy havia sido alcançado não somente pelas balas do fuzil de Lee Harvey Osvald, como também por outros projéteis procedentes de diferentes direções.

Escrito por:

Do Correio