Publicidade

Publicado 13/01/2019 - 06h00 - Atualizado 11/01/2019 - 14h37

Por Do Correio

Pátio interno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas, durante a realização de uma solenidade

Reprodução

Pátio interno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas, durante a realização de uma solenidade

CADETE CAMPINEIRO TEM GRANDE CARTAZ
Nos últimos anos tem aumentado o número de candidatos que se inscrevem nos exames de admissão às escolas militares e, para o corrente ano, são já numerosas, segundo Informação das Diretorias de Ensino do Exército, Marinha e Aeronáutica. As autoridades militares afirmam que "embora as vantagens oferecidas no meio civil sejam maiores, os jovens procuram a carreira militar por vocação e se as escolas militares não têm maior número de alunos matriculados é devido ao cuidado especial nos exames de seleção dos candidatos inscritos". Na Diretoria-Geral de Ensino do Exército a informação é a de que no período 1963-65 houve acentuada queda nas matriculas, que vem sendo superada de ano para ano. O baixo nível intelectual dos candidatos é apontado como um dos principais problemas para o ingresso na Academia Militar das Agulhas Negras.
 
TEATRO DE ARENA EM CAMPINAS DIA 21
No dia 21 próximo, o elenco do Teatro de Arena de, São Paulo, estará se apresentando no Teatro da Secretaria de Educação e Cultura, com a peça de Carlos Gorostiza, autor argentino da nova geração, que vem alcançando grande sucesso com suas peças, "O que é que vamos fazer esta noite?". Encabeçando o elenco do Arena, teremos o consagrado ator Rolando Boldrin que vem se destacando na Televisão Paulistana com suas apresentações na novela "Ana" que o Canal 7 apresenta diariamente. Outro grande valor do teatro nacional que encabeça o elenco de "O que é que vamos fazer esta noite?" é a consagrada Lilian Lemmertz. Participam ainda do elenco, Antonio Petrin, Telma Reston, Abrão Farc e a linda Maria Tereza Becker, jovem atriz que vem se destacando.
 
SERICULTURA REVELA SALDO EM 1968
Como organismo específico de pesquisa e experimentação, o Serviço de Sericicultura, da Secretaria da Agricultura do Estado deu continuidade no ano de 1968, aos quarenta e dois projetos que estavam em andamento e iniciou vários outros. Paralelamente, prosseguiu o programa de desinfecção gratuita das sirgarias do Estado para erradicação da "pebrina", tendo sido atendidos lavradores de cinquenta e cinco municípios, calculando-se que a extensão da moléstia seja da ordem de quase cem por cento. Na parte de produção de ovos, o Serviço de Sericicultura, órgão instalado nesta cidade, continuou atendendo à parte supletiva.

Escrito por:

Do Correio