Publicidade

Publicado 11/01/2019 - 06h00 - Atualizado 10/01/2019 - 15h01

Por Do Correio

Campinas é uma cidade em crescimento vertiginoso. Aos poucos semáforos são colocados nos perigosos cruzamentos

Reprodução

Campinas é uma cidade em crescimento vertiginoso. Aos poucos semáforos são colocados nos perigosos cruzamentos

SEMÁFOROS FUNCIONANDO DURANTE A NOITE
Campinas é uma cidade em crescimento vertiginoso. Aos poucos está apresentando os mesmos problemas de uma metrópole. E o seu trânsito vai acompanhando êsse desenvolvimento. E acompanha tão celeremente que o número de acidentes que diáriamente ocorre em nossas ruas é a maior prova dessa assertiva. Hoje a cidade ganha novas avenidas, ritmo do progresso rasga gigantescas artéria. E isso é necessário porque a cidade em pouco tempo seria engarrafada pelo volumoso trânsito que possui. Mas o nosso trânsito é disciplinado? Até que sim. Felizmente ainda o trânsito em Campinas não desespera ninguém. As poucas falhas que há podem ser corrigidas. Uma delas é urgente: semáforos nos perigosos cruzamentos. Disso a Delegacia de Trânsito vem cuidando. O delegado Adolpho Magalhães tem recebido a colaboração de firmas diversas e os semáforos vão sendo colocados.
 
VIRACOPOS COTADO PARA O SUPERSÔNICO
Ainda neste mês a firma Hidroservice Engenharia de Projetos Ltda. anunciará o local onde será construido o aeroporto internacional do Brasil. Aquela firma está concluindo os estudos necessários, com a colaboração das firmas canadenses Akress International Ltda. e John Parida Association. Segundo se informa no Rio de Janeiro, tanto Viracopos como o Galeão podem ser indicados para o futuro supersônico, os quais passariam por completa remodelação, como também podem ser indicadas novas áreas. Entretanto, existem possibilidades de que seja efetivamente escolhido um dos dois aeroportos mencionados. O empréstimo canadense para estudo do aeroporto, no importe de 784 mil dólares, já foi liberado pelo BID.
 
SECERAS CRÍTICAS CONTRA EMBARGO DE ARMAS A ISRAEL
A decisão do general de Gaulle de generalizar o embargo das armas destinadas a Israel continuou provocando severas criticas da esquerda não comunista e em parte da maioria governamental. Por outro lado o editorialista do orgão gaulista La Nation afirmou hoje que na França existe um racismo — anti-árabe motivado essencialmente pela humilhação que a França sofreu na Argélia. No mesmo jornal o chanceler Michel Debre ressalta que, em certa época a estabilidade no Oriente Médio exigia apoiar Israel mas, afirmou, a estabilidade exige hoje um esforço para ajudar as populações palestinas e evitar as crises dos países árabes.

Escrito por:

Do Correio