Publicidade

Publicado 02/01/2019 - 06h00 - Atualizado 01/01/2019 - 14h40

Por Do Correio

Eis um aspecto da favela existente no Jardim São Pedro, na periferia de Campinas

Reprodução

Eis um aspecto da favela existente no Jardim São Pedro, na periferia de Campinas

JARDIM SÃO PEDRO: AQUI TAMBÉM EXISTE FAVELA
As vezes, em uma cidade como Campinas, existem coisas que constituem prova de que milhares de brasileiros es-tão relegados a uma condição de vida infra-humana. E tal condição de vida é vista em quase tôdas as grandes cidades brasileiras, onde, formando um verdadeiro anel, existem centenas de Favelas abrigando essas criaturas que fazem parte da população do país mas, ficam completamente marginalizadas da vida e do progresso da Nação. Em S. Paulo, as favelas existem nas margens do Tietê. No Rio de Janeiro, os morros estão tomados por barracos agrupados, constituindo as dezenas de favelas existentes. E aqui em Campinas, embora muita gente não saiba, existe também tal população, que vive numa promiscuidade de difícil descrição. Esses agrupamentos formaram-se em vários pontos da cidade.
 
URSS APRESENTA PLANO DE PAZ
França, Inglaterra e Estados Unidos receberam ontem um plano da União Soviética, referindo-se à paz no Oriente Médio. Os russos propuseram três partes no seu plano: Israel deve retirar-se dos territórios ocupados; os países árabes devem desistir da beligerância; e as fronteiras em litígio devem ser guarnecidas pelos Estados Unidos, França, Inglaterra e União Soviética. Os embaixadores soviéticos discutiram ontem em Londres, Paris, Washington e Cairo os problemas entre israelenses e árabes. O ministro das Relações Exteriores de Israel, Abba Eban, rejeitou ontem de maneira categórica a proposta francesa de solução do conflito no Oriente Médio, mediante acordo das 4 grandes potências.
 
VIETCONG RECEBE ORDEM PARA OCUPAR SAIGON
O Vietgong recebeu ordem de atacar a "ocupar Saigão para provocar a rebelião geral" destacou aqui hoje o coronel Kien Khieu, prefeito da capital sul-vietnamita. O alto funcionário de Saigão formulou a referida declaração ante a Comissão de Assuntos Interiores da Assembléia Nacional Sul-vietnamita. Acrescentou que o Estado Maior da Frente Nacional de Libertação do Vietnã do Sul (FNL) dera a ordem de proceder a esta "ocupação" durante a campanha "Inverno-Primavera" do Vietcong. Os chefes deste ultimo deviam formar equipes em cada bairro da cidade e eliminar aos membros do governo para facilitar aos agentes da FNL ocupar seu lugar no momento oportuno.

Escrito por:

Do Correio