Publicidade

Publicado 18/12/2018 - 06h00 - Atualizado 18/12/2018 - 17h00

Por Do Correio

A EsPCEx, estabelecimento de ensino militar sediado em Campinas formou mais uma turma, Trata-se da Turma Olavo Bilac

Reprodução

A EsPCEx, estabelecimento de ensino militar sediado em Campinas formou mais uma turma, Trata-se da Turma Olavo Bilac

ESCOLA PREPARATÓRIA FORMOU NOVA TURMA
A Escola Preparatória de Cadetes do Exército, estabelecimento de ensino militar sediado em Campinas formou ontem mais uma turma, Trata-se da Turma Olavo Bilac cujos elementos tentarão agora, ingressar na Academia Militar de Agulhas Negras, para dar continuidade à carreira militar inicia da na EsPCEx. Várias solenidades, realizadas no recinto da Escola, marcaram o acontecimento. O programa foi o seguinte: 9,30 horas, recepção às autoridades; guarda de honra- apresentação do corpo de alunos, passagem do Estandarte, homenagem ao prefeito Ruy Novaes. Durante as solenidades que foram realizadas no pátio exterior do modelar estabelecimento de ensino militar, a banda da Escola abrilhantou os festejos, com os alunos cantando o Hino da Escola Preparatória de Cadetes.
 
COMENTÁRIO EM WASHINGTON SÔBRE O BRASIL
A administração Nixon deverá reexaminar os programas de ajuda ao Brasil, sugeriu hoje o influente jornal "Washington Post". Em editorial intitulado "Crise no Brasil", o jornal afirma que essa situação "é de sombria significação para todo o hemisfério" e vaticina que se agravará ainda mais. "O Exército brasileiro", escreve o editorialista, "já não atua no interesse do país, mas unicamente para assegurar sua própria proteção... O regime está sujeito a novas repressões e a estabilidade, alvo primitivo de um governo militar, está em vias de desaparecer". Ao examinar depois o papel do governo de Washington diante dos acontecimentos do Brasil, o "Washington Post" declara: "Existem razões válidas para continuar participando do desenvolvimento do Brasil."
 
PRESSÕES SOBRE CAO KY NA REUNIÃO DE PARIS
A delegação do Vietnã, do Sul a Conferencia de Paris deve enfrentar uma serie de pressões declarou hoje o vice-presidente Cao Ky. No final da entrevista que manteve com Averell Harriman, Cao Ky afirmou que considerava como uma forma dessas pressões as recentes declarações do Ministro da Defesa norte-americano Clark Clifford. Este declarou que a demora no inicio das negociações de Paris podia levar os Estados Unidos a fazer um acordo direto com o governo de Hanói.

Escrito por:

Do Correio