Publicidade

Publicado 15/12/2018 - 06h00 - Atualizado 14/12/2018 - 14h53

Por Do Correio

Em 1913, o alfaiate italiano Fidelis Maselli Di Lascio, resolveu vir a Campinas e aqui montar uma alfaiataria

Reprodução

Em 1913, o alfaiate italiano Fidelis Maselli Di Lascio, resolveu vir a Campinas e aqui montar uma alfaiataria

HÁ 40 ANOS DI LASCIO CRESCE COM CAMPINAS
Em 1913, o alfaiate italiano Fidelis Maselli Di Lascio, ora radicado em São João Del Rei, resolveu vir a Campinas e aqui montar uma alfaiataria. Mestre da agulha e sem capital instala em Campinas a alfaiataria Di Lascio em um quarto próximo ao centro da cidade. O movimento de confecção aumentou e ainda sem capital resolve com Nicolau Lagrota seu cumpadre montar uma loja de roupas para homens, rapazes e alfaiataria. acolhem a esquina de Glicério e Conceição, lá no largo da Catedral. Devido a confecção esmerada e a cortesia com que eram atendidos os fregueses, não tardou que o movimento aumentasse sentindo a necessidade de ampliar o estoque e formou-se em 1915 um dos maiores magazines de roupas para homens, rapazes e meninos.
 
EM AGITADOS TRABALHOS PASSOU CRIAÇÃO DO TRIBUNAL
Avançaram pela madrugada a dentro, somente terminando às 5 horas de ontem, os trabalhos da nossa Edilidade para apreciação do projeto originário do Executivo que dispõe sôbre a criação do Tribunal de Contas do Município. Iniciados com a presença de numerosa assistência, contrária em sua maioria àquela inovação, ao seu término contavam com umas 20 pessoas, renitentes em constatar o desfecho da votação, entre as quais os líderes do MDB local, alguns vereadores recentemente eleitos e bem assim o vice-prefeito Eugênio Alatti. Numa demonstração do interêsse nos resultados, ainda por volta das três horas, estiveram no 5.o andar do Palácio da Justiça o prefeito Ruy Novaes e o deputado Antonio Leite Carvalhaes.
 
PRISÕES E CASSAÇÕES NA MIRA DO GOVÊRNO
Reina calma em todo o País. O Brasil, agora, entra na vigência do 5.o Ato Institucional, podendo o presidente da República decretar a intervenção federal nos Estados e municípios, suspender funcionários civis e militares de suas funções, cassar mandatos ou suspender direitos políticos. Enquanto isso, as autoridades dão continuidade aos seus propósitos, efetuando várias prisões: Juscelino Kubitschek, saiu preso na noite de sexta-feira do Teatro Municipal; deputado Hélio Navarro, jornalista Hélio Fernandes, Tenório Cavalcanti, ex-governador Rafael de Almeida Magalhães, prof. Darcy Ribeiro, são outros detidos.

Escrito por:

Do Correio