Publicidade

Publicado 14/12/2018 - 06h00 - Atualizado 13/12/2018 - 14h42

Por Do Correio

A pavimentação do trecho alargado da av. Moraes Salles também deve ter inicio nos próximos oito dias

Reprodução

A pavimentação do trecho alargado da av. Moraes Salles também deve ter inicio nos próximos oito dias

QUASE PRONTAS AS NOVAS AVENIDAS DE CAMPINAS
As novas avenidas que estão surgindo em diversos pontos da cidade, começam a tomar sua forma definitiva, e dentro de poucas semanas poderão estar liberadas ao trânsito, com o que o sistema viário do centro urbano estará sensivelmente melhorado, principalmente no que tange ao escoamento das correntes que obedecerão ao sentido bairro-cidade-bairro. Já está em pleno uso a av. Francisco Glicério que ganhou muito com o alargamento do trecho compreendido entre a av. Moraes Salles e a conexão com a av. Saudade, trajeto que passará a ser feito em duas pistas pavimentadas desafogando o trânsito volumoso (100 automóveis a cada 30 minutos) da Francisco Glicério, no sentido centro-bairro. Enquanto isso tudo acontece no centro nervoso da urbe, também as avenidas Moraes Salles, José Paulino e João Jorge sofrem enormes modificações, agora que a fase inicial e mais morosa de desapropriações e demolições chegou definitivamente ao fim.
 
COMBATER SUBVERSÃO E MANTER ORDEM DEMOCRÁTICA
O Ato editado pelo chefe do governo, com o referendum de todo Ministério, está concebido nos seguintes termos: "O presidente da República Federativa do Brasil, ouvido O Conselho de Segurança Nacional e considerando que a Revolução Brasileira de 31 de Março de 1964 teve, conforme decorre dos Atos com os quais se institucionalizou, fundamentos e propósitos que visavam a dar ao país um regime que, atendendo as exigências de um sistema jurídico e político, assegurasse a autêntica ordem democrática, baseada na liberdade, no respeito à dignidade da pessoa humana, no combate à subversão e às ideologias contrárias.
 
PC FRANCÊS CONDENA DECISÃO DE MOSCOU
A Invasão da Checoslovaquia pelas forças armadas soviéticas continua perturbando a existência do Partido Comunista Francês que, pela primeira vez na historia, condenou uma decisão tomada por Moscou. A hostilidade de direção comunista francesa, outrora ortodoxa, a ocupação armada da Checoslovaquia por parte de seus aliados do Pacto de Varsovia motivou a renuncia em outubro ultimo de Jeannete Vermeersh, viuva daquele que durante um quarto de seculo foi o Secretario Geral do Partido Comunista Francês, Maurice Thorez e que faleceu em 1964.

Escrito por:

Do Correio