Campo Belo 2: principal via é retrato do calvário
Publicidade

Publicado 01/10/2018 - 09h08 - Atualizado 01/10/2018 - 09h09

Por Beatriz Andrade

População é obrigada a lidar ainda com a iluminação precária no local

Matheus Pereira/Especial para a AAN

População é obrigada a lidar ainda com a iluminação precária no local

Uma Campinas diferente da mostrada com os bons números da Administração municipal pode ser vista com os mais diversos recortes de descaso na Avenida 1, no Jardim Campo Belo 2. A via esquecida pelo Poder Público, denunciada pelos moradores, registra praticamente todos os piores indicadores urbanos: falta asfalto e os buracos são constantes por toda a via, o esgoto corre a céu aberto, as casas não têm calçamento, a iluminação pública é ineficiente. 
Quem mora por lá, desafia a sorte e a saúde vivendo diante de tantas adversidades. Há mais de 20 anos, de acordo com os moradores, nenhum serviço público da Prefeitura passou pela Avenida 1.
Em visita ao local indicado por quem vive lá, a reportagem do Correio Popular confirmou a situação caótica da via. Sem asfaltamento, os carros dividem o pouco espaço com os pedestres que tentam passar por ali. Os buracos tomam conta da terra batida, que se tornou o único modo de entrar na rua residencial. A passagem de pedestres e veículos por ali é um desafio, e a população local é obrigada a lidar ainda com a iluminação precária, que transforma a rua num campo minado assim que o dia termina.
Entretanto, o maior problema enfrentado pelas pessoas que passam perto dessa rua problemática é o esgoto a céu aberto. Sem tubulação que evite a disseminação de doenças que podem ser transmitidas pela sujeira, os moradores se encontram a mercê de remediações, feitas por eles mesmos para evitar ao máximo qualquer contato.
Alguns moradores se juntaram e construíram uma espécie de passarela de concreto, seguida por uma escada improvisada, que permite que os pedestres atravessem o esgoto e o morro que separa a Avenida 1 de sua paralela, além de um moro que separa a “rua” do córrego de dejetos. “Se fôssemos esperar que a Prefeitura viesse aqui resolver, estaríamos ainda piores”, afirmou Ferdinand de Souza Leal, pedreiro de 71 anos.
Segundo ele, que mora na rua vizinha à Avenida 1, o mau cheiro incomoda, e o perigo de contaminação preocupa. “Quando chove, o odor fica ainda mais forte e, por causa das pessoas que acabam jogando ainda mais lixo ali, ele vai enchendo”, contou.
Com o início da temporada de chuvas, como a que havia atingido a rua na madrugada de última quarta-feira (26) para quinta-feira (27), o asfalto também se torna um problema. “Fica escorregadio, tanto para os carros quanto para os pedestres. Sem falar que isso vira um lamaçal”, explica Ferdinand de Souza Leal.
Prefeitura
A Prefeitura de Campinas informou que a via mencionada fica numa área que não está regularizada. A Secretaria de Habitação(Sehab) e a Cohab-Campinas estão trabalhando na regularização fundiária de 111 núcleos, sendo 18 deles na região do Campo Belo.
Entretanto, a Secretaria de Serviços Públicos, por meio da Administração Regional (AR-15), faz a manutenção e a limpeza das vias periodicamente. A próxima manutenção está programada para ser executada em até 15 dias.

Escrito por:

Beatriz Andrade