O voto nos candidatos ao Congresso
Publicidade
Publicado 27/09/2018 - 14h38

O voto nos candidatos ao Congresso

A intensa polarização destas eleições tem levado muitas pessoas a priorizar a escolha do candidato presidencial e ignorar as campanhas para o legislativo. Deste modo, chegando a última semana que antecede as eleições a maioria da população não escolheu em quem votar para deputado federal e senador.
A escolha de bons parlamentares para o Congresso, que é formado por deputados e senadores, é tão importante quanto a eleição para os cargos executivos, porque é onde atuam os grupos de interesse para fazer valer suas posições e reivindicações.
Nos últimos anos tem prevalecido no Congresso Nacional bancadas conservadoras que freiam o desenvolvimento do país, impedindo ou mutilando as propostas de reformas necessárias como a da previdência, sem as quais não será possível um crescimento sustentável.
A humanidade está vivenciando um momento de transição provocado pelas rápidas mudanças induzidas pela revolução tecnológica, conhecida como quarta revolução industrial, e que tem seus reflexos nos valores, costumes, tradições e hábitos cotidianos das pessoas. O modo de produção se modifica com rapidez, e multiplica a capacidade humana de produzir coisas úteis. Mas também ocorre a destruição de inúmeros postos de trabalho, ao mesmo tempo que são criados outros que exigem melhor qualificação da mão-de-obra.
Para se adequar a essa nova realidade global o país necessita modificar e ajustar ou criar novas leis e os parlamentares tem papel fundamental nesse processo, mas para isso precisam compreender esse mundo novo e propor legislação que adeque o passado ao presente e prepare para o futuro.
O que vemos atualmente são parlamentares propondo e defendendo ideias superadas no século passado e até mesmo ultrapassadas mesmo no século XIX - há mais de 200 anos. Temos parlamentares identificados com o trabalho escravo e com o trabalho servil, adotando práticas e defendendo ideias que contrariam os mais elementares direitos da pessoa humana. A destruição de ecossistemas é uma prática defendida abertamente contrariando uma luta que se alastrou pelo mundo em meados do século passado. A destruição de habitats só não foi maior até agora pela mobilização da sociedade civil.
O Congresso, nos últimos anos, tem sido dominado por bancadas conservadoras que defendem propostas que vão na contramão da história e em desacordo com o que ocorre nos países desenvolvidos.
O assim denominado Centrão, alvo recente da cobiça dos candidatos presidenciais, representa as forças do atraso que impedem o avanço do país. Esse grupo é majoritário no Congresso e tem como prioridade a reeleição de seus membros. Para atingir esse objetivo aliam-se a quem estiver melhor posicionado em sua região. Assim temos membros do Centrão apoiando todos os candidatos que se encontram com chances de vitória, não importando a corrente ideológica, seja de direita ou esquerda.
Desse modo, qualquer que seja o candidato eleito, o Centrão se manterá como grupo majoritário no Congresso e estabelecerá os limites de ação do próximo Presidente da República, que será obrigado a negociar com esses parlamentares conservadores. As necessárias reformas não passarão ou serão mutiladas de tal forma que perderão seu sentido original.
Esse quadro permite concluir que a eleição dos candidatos a cargos legislativos é de fundamental importância para o desenvolvimento do país, seja do ponto de vista econômicos, social ou ambiental.
Nesta reta final de campanha eleitoral a escolha de deputados e senadores é tão importante quanto a escolha do Presidente da República.
A internet é um importante meio de pesquisa acessível a todos. Qualquer eleitor pode realizar uma busca sobre determinado candidato para avaliar se merece seu voto. A escolha errada agora custará caro ao país e, principalmente, às futuras gerações. Há necessidade de impedir o ciclo de conservadorismo que se repete há anos, levando ao Congresso oligarcas conhecidos – muitos com processos em andamento na lava jato.
Este é outro ponto importante. Muitos deputados e senadores, a maioria do Centrão – por exemplo, estão relacionados com investigações em andamento na justiça ou na polícia federal. Para esses parlamentares é questão de sobrevivência fora das grades conseguir a reeleição como um salvo conduto de proteção a uma eventual condenação.
Em resumo: ser responsável ao votar neste momento é assumir um compromisso com a melhoria do país. A omissão, o voto branco ou nulo, só fará aumentar as bancadas que minam a economia e o desenvolvimento da nação.