Professor anticotas da Unicamp é suspenso
Publicidade

Publicado 28/06/2018 - 07h24 - Atualizado 28/06/2018 - 07h24

Por Henrique Hein

Paulo Palma atraiu a revolta de grande parte da comunidade acadêmica, que se mobilizou pela punição

Cedoc/RAC

Paulo Palma atraiu a revolta de grande parte da comunidade acadêmica, que se mobilizou pela punição

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) suspendeu ontem o professor que criticou o sistema de cotas da universidade na página do Facebook do reitor Marcelo Knobel, em junho do ano passado. Na mensagem, o docente Paulo Palma escreveu que “com tantos cotistas ingressando na Unicamp, o nome da faculdade deve se mudar para Escola Estadual de Terceiro Grau Zeferino Vaz”. Ele finalizou a mensagem com uma frase em referência à campanha do presidente Donald Trump nos Estados Unidos: “Let’s make Unicamp great again! (Vamos fazer a Unicamp boa de novo, em português)”.
Em novembro de 2017, o Conselho Universitário (Consu) da Unicamp aprovou as cotas étnico-raciais e o Vestibular Indígena para 2018.
Dez dias
De acordo com a Unicamp, Palma foi notificado da suspensão, assim como a Faculdade de Ciências Médicas (FMC) — local em que o professor leciona suas matérias. A instituição decidiu suspender o docente por dez dias das atividades no campus — ele voltará às atividades regulares somente no próximo dia 6 de julho.
A decisão também foi publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo, assim que a decisão foi definitivamente oficializada pela universidade.
Na época, as críticas feitas ao sistema cotista geraram revolta no campus. O professor foi acusado de racismo por alguns grupos. O Núcleo de Consciência Negra chegou a cobrar um posicionamento da Reitoria, que repudiou o comentário do docente.
Os integrantes do núcleo ainda protestaram contra as declarações de Paulo Palma, colando diversas fotos de figuras negras que marcaram história no mundo na fachada da FMC.
A reportagem procurou a Faculdade de Ciências Médicas para tentar entrar em contato com o professor Paulo Palma, com o intuito de ouvi-lo. A faculdade ficou de dar uma resposta, mas não houve retorno até o fechamento desta edição.

Escrito por:

Henrique Hein