Desenho leva suspeito de abuso sexual a ser preso
Publicidade

Publicado 07/08/2017 - 19h55 - Atualizado 07/08/2017 - 19h55

Por Alison Negrinho

O desenho foi feito pelo garoto durante uma sessão realizada por uma psicóloga para analisar o problema

Divulgação/Polícia Civil

O desenho foi feito pelo garoto durante uma sessão realizada por uma psicóloga para analisar o problema

O desenho de uma criança ajudou a polícia a colocar um suspeito de abuso sexual atrás das grades. Na manhã de segunda-feira, um enfermeiro de 52 anos foi preso por estupro de vulnerável de dois meninos, irmãos, de 6 e 9 anos. Os garotos moram no bairro Jardim Europa em Paulínia, e são vizinhos do suspeito.
Na imagem desenhada pelo garoto mais novo está um carro da polícia, além de uma mensagem dirigida ao delegado. "Eu quero que o [...]seja preso para sempre. Para o delegado. Assinado, [...], diz a carta.
A prisão temporária já havia sido decretada há cerca de um mês, mas como o enfermeiro, que é funcionário do setor de nefrologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estava de licença, somente na segunda foi possível efetuar a ação. Ela aconteceu, no estacionamento do Hospital das Clínicas (HC), no momento em que o enfermeiro voltava para renovar a licença. Para realizar a prisão os policiais ficaram de campana no local. O suspeito foi detido e indiciado na Delegacia de Paulínia.
De acordo com o delegado Rodrigo Luis Galazzo, responsável pelo caso, por se tratar de um crime hediondo foi pedida a prisão temporária do enfermeiro por um período de 30 dias. O suspeito é solteiro e não tem filhos. "Até pela natureza desse crime, optamos pela prisão temporária, para que o caso continue a ser apurado", explicou o policial.
A mãe dos garotos começou a suspeitar dos abusos no fim do ano passado. Na ocasião, ela notou uma mudança no comportamento de um dos filhos. "Ela perguntou o que estava acontecendo e ele disse que o vizinho o tinha chamado para ir na sua casa e acabou beijando o garoto na boca", detalhou.
Após essa declaração, a mãe registrou a ocorrência e foi iniciada a investigação, em janeiro deste ano. Já em abril, as crianças passaram por atendimento com uma psicóloga. Foi quando o irmão mais novo fez o desenho e escreveu a mensagem direcionada ao delegado.
Sexo oral
Segundo Galazzo, os indícios contra o suspeito estão nas provas testemunhais obtidas e no parecer técnico da psicóloga, que enviou o desenho juntamente com um laudo para a Polícia Civil. Ainda de acordo com o delegado, a mãe disse que o enfermeiro forçou a criança a fazer sexo oral. Quando questionou o filho mais velho, ela descobriu que as crianças sofriam ameaças do homem.
"Ela contou que o menino ficou nervoso e disse: 'eu tenho medo de falar porque ele pode fazer mal pra você e para o papai'", falou Galazzo. Ainda de acordo com a investigação policial, foi apurado que um primo das crianças, atualmente maior de idade, também foi abusado pelo vizinho quando tinha 15 anos.
Ouvido no fim da manhã de ontem, o suspeito foi encaminhado à cadeia anexa ao 2º Distrito Policial de Campinas. Ainda não há decisão por parte do delegado se será pedida a renovação da prisão temporária. Com o homem foi apreendido um celular de modelo antigo, sem acesso a redes sociais.
Em nota oficial, o HC afirma que "o funcionário estava afastado até dia 04/08. A Unicamp irá se manifestar sobre o caso, assim que for comunicada da decisão e está à disposição das autoridades responsáveis".
[/TEXTO]

Escrito por:

Alison Negrinho