Caism suspende internação a gestantes e bebês
Publicidade

Publicado 22/05/2017 - 22h07 - Atualizado 22/05/2017 - 22h07

Por Inaê Miranda

Taxa de ocupação ontem no Caism era de 146%: acima da capacidade

Elcio Alves

Taxa de ocupação ontem no Caism era de 146%: acima da capacidade

O Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) suspendeu a internação de gestantes e recém-nascidos ontem por causa da superlotação. Com 15 leitos habilitados para atendimento na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal, a instituição trabalha com 22 recém-nascidos, uma taxa de ocupação de 146,6%. Outros hospitais da cidade, habilitados para atendimento neonatal, também enfrentam superlotação como o Hospital e Maternidade Celso Pierro. A Central de Regulação de Vagas informou que está operando no limite, mas sem falta de leitos na cidade.
Em nota divulgada ontem, o Caism informou que eram 16 recém-nascidos em ventilação assistida, o que ultrapassa a capacidade física da UTI. Mesmo em assistência ventilatória, essas crianças da UTI estão alocadas no espaço físico da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatal, que, por sua vez, também se encontra com uma taxa de ocupação de 100% dos leitos habilitados, segundo informou o hospital. “Em função desse quadro de superlotação, informamos que o Caism se encontra fechado para a internação de gestantes de alto risco e para a internação de recém-nascidos. Orientamos que a população e os serviços de saúde evitem o Pronto Atendimento do Caism, ou o encaminhamento de pacientes ao hospital”, orienta o hospital.
Já o Hospital Celso Pierro tem ao todo 16 leitos de UTI Neonatal SUS e trabalhava ontem com 18 pacientes internados. A Maternidade de Campinas tem convênio com o município para 22 leitos de UTI Neonatal. No começo da noite de ontem, o hospital tinha apenas uma vaga disponível. O presidente da Maternidade, Carlos Ferraz, informou que é uma situação de rotina. “Por enquanto está normal. Às vezes trabalhamos um pouco acima, mas isso é normal”, afirmou.
Médicos que atuam nas UTI Neonatais e pediátricas de Campinas afirmam que a falta de vagas é uma constante e que o problema se agrava no Inverno pela sazonalidade, pois aumentam as infecções virais.
Campinas tem o total de 49 leitos SUS de UTI neonatal e 36 de UCI neonatal. Sob a gestão municipal estão 34 leitos de UTI neonatal e 21 de UCI neonatal nos hospitais Celso Pierro e Maternidade de Campinas. A Secretaria de Saúde de Campinas diz que o sistema de urgência e emergência exige responsabilidade compartilhada e que, portanto, as instâncias municipal (hospitais Celso Pierro e Maternidade de Campinas, Samu e Central de Regulação Municipal) e estadual (Departamento Regional de Saúde VII - DRS VII, Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde - Cross) estão envolvidas na organização do sistema para garantir assistência a todos os casos.
Pediatria
O Hospital de Clínicas da Unicamp mantém fechado o atendimento no Pronto-Socorro Pediátrico. Segundo o hospital, a medida, tomada na última sexta-feira (19), é necessária em função da superlotação da Urgência Pediátrica, UTI Pediátrica e da Enfermaria Pediátrica, e tem como objetivo a preservação dos serviços com segurança para pacientes atendidos e internados.
A UTI Pediátrica do HC, que tem capacidade para atender 10 pacientes, mantém 12 crianças internadas com ventilação mecânica. A maioria dessas crianças são acometidas por bronquiolites, especialmente o vírus sincicial respiratório (VSR). No PS Infantil são 12 leitos, sendo oito com suporte de rede de gás medicinal, e todos estão ocupados. Já a Enfermaria de Pediatria, que conta com 48 leitos, também está lotada.
De acordo com o HC, a Central de Vagas do Estado (Cross), Samu, Resgate e prefeituras foram avisadas para não encaminhar pacientes até a normalização. Demandas espontâneas estão sendo avaliadas pela classificação de risco ou redirecionadas à rede. O hospital afirma que não tem medido esforços para prestar um atendimento digno aos pacientes recebidos na unidade e pede a compreensão da população até que a situação se normalize.
A Secretaria de Saúde informou que a rede municipal de Campinas tem 10 leitos de UTI pediátrica no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, 15 no Hospital Ouro Verde e 5 no Hospital Celso Pierro, este último trabalhava ontem com quatro pacientes internados. O acesso a cada unidade é feito de acordo com a disponibilidade.

Escrito por:

Inaê Miranda