Solidariedade cria geladeira para todos em Valinhos
Publicidade

Publicado 04/04/2017 - 08h08 - Atualizado 04/04/2017 - 10h50

Por Jaqueline Harumi

Kléber Bönner mostra os produtos disponíveis na geladeira comunitária

César Rodrigues/AAN

Kléber Bönner mostra os produtos disponíveis na geladeira comunitária

Preocupado com quem tem pouco ou nada para comer, um casal de empresários de Valinhos decidiu criar uma geladeira comunitária na calçada de seu negócio, onde qualquer pessoa pode abastecê-la ou retirar o que necessita.
Colocado na Avenida Invernada, 1.713, no bairro Nova Itália, desde a última sexta-feira, o eletrodoméstico tem dado o que falar e, felizmente, o que comer e beber. Na tarde desta segunda-feira, por exemplo, o Correio encontrou as prateleiras da geladeira abastecidas com caixas de leite, garrafas de suco, pacote de bolacha, enlatados, legumes, farinha, feijão, fubá e sal, dentre outros mantimentos. Tudo ali à disposição.
Idealizador da Geladeira Comunitária ao lado da companheira Elenice, de 50 anos, o empresário Kléber Bömer, de 53 anos, conta que a ideia começou em um grupo da igreja e prosperou porque conseguiu a doação de uma geladeira usada de um amigo. “A primeira compra fomos nós mesmos que fizemos”, conta ele, que espera ver mais geladeiras por aí. “O brasileiro é um povo solidário. Quando eles vêm que tem uma dedicação que é certa, eles ajudam sempre. A intenção é que mais pessoas façam isso. Se cada um fizer a sua parte, a gente vai ter menos fome no mundo.”
A iniciativa valinhense, inspirada em outras semelhantes pelo País, ganhou repercussão nas redes sociais. O post divulgando a geladeira, publicado em um grupo aberto do Facebook por Elenice, foi compartilhado 712 vezes e recebeu 2,3 mil reações e quase 300 comentários até à tarde desta segunda-feira.
“Um dia postei uma matéria sobre uma cidade que havia feito essa geladeira comunitária e ainda falei que amaria ver isso aqui em Valinhos: olha aí meu desejo sendo realizado! Que essa ideia se multiplique, logo passarei aí para fazer minha colaboração”, comentou Patricia Pinto.
Surpresa positivamente com a ideia, outra integrante do grupo que já havia visto a geladeira pessoalmente prometeu colaborar periodicamente. “Não acreditei no que eu estava vendo. Lindo gesto ao próximo. Desde quando me conheço por gente nunca vi esse gesto. Por tudo que vi, vou ajudar também: toda sexta-feira à tarde passo por esse lugar e vou deixar na geladeira meu amor ao próximo. Porque quem planta colhe”, relatou Claudineia Correia.
Houve até quem rebatesse os comentários negativos sobre o uso da geladeira. “A gente não tem que pensar ‘nossa, e se eu doar e alguém que não precisa ir lá e pegar?’. Nós temos que fazer as coisas de coração, porque sempre vai ter alguém que vai querer passar todos para trás. O bem não deve parar só porque existe o mal. Que Deus abençoe todos que participaram e todos que participarão”, opinou Adrielly Pontes.
REGRAS PARA A GELADEIRA
Os alimentos devem estar embalados com data de fabricação dentro do prazo de validade, sendo que as garrafas não podem ser de vidro e devem estar lacradas, bem como as embalagens devem estar fechadas. São proibidos bebidas alcoólicas, carne crua e ovos. 

Escrito por:

Jaqueline Harumi