Força-tarefa alavanca polo tecnológico
Publicidade

Publicado 20/10/2016 - 21h51 - Atualizado 20/10/2016 - 21h51

Por Adriana Leite

Abertura do Inova Campinas, Fórum Regional de Inovação, reuniu ao menos mil pessoas nesta quinta-feira, no IAC; nesta sexta-feira, promove último dia de atividades

Dominique Torquato/AAN

Abertura do Inova Campinas, Fórum Regional de Inovação, reuniu ao menos mil pessoas nesta quinta-feira, no IAC; nesta sexta-feira, promove último dia de atividades

A sinergia entre instituições de pesquisa, universidades, empresas, fundações, poder público e sociedade potencializa o papel de Campinas e região como o maior polo tecnológico e de conhecimento do País. O esforço conjunto mostra resultados: 2 mil empresas beneficiadas por leis municipais de incentivos, a atração de fundos que pretendem investir em empresas locais, a ampliação de escritórios de apoio em outros países e a realização de eventos como o Inova Campinas, Fórum Regional de Inovação e Desenvolvimento Sustentado. No primeiro dia da terceira edição do encontro, que termina nesta sexta-feira (21) e ocorre no Instituto Agronômico de Campinas (IAC), pelo menos mil pessoas participaram do evento. A expectativa é que 2 mil passem pela edição deste ano nos dois dias.
De olho em uma região com muitas oportunidades de negócios, representantes da empresa Astra Investimentos, que gerencia um fundo com patrimônio atual de US$ 150 milhões e mais outros US$ 150 milhões firmados, vieram ao evento. O objetivo foi conhecer o ecossistema de inovação da região e captar projetos para a carteira de investimentos da empresa. A Astra busca por startups e empresas com mais tempo de mercado que tenham projetos em áreas como tecnologia da informação e no setor de ciências da vida.
O CEO da Astra Investimentos Ltda., Andrew Jenner, afirmou que busca por empreendedores que estejam bem estruturados, qualificados e que tenham paixão incondicional nos projetos que desenvolvem. “Não temos um limite de empresas que pretendemos investir. Campinas é uma das regiões mais ricas do País. A região tem um histórico de inovação e desenvolvimento. Há ainda centros de inovação e universidades. Buscamos por empresas bem no início ou mais maduras”, comentou.
Ele salientou que a proximidade e relacionamento com parceiros, como a Fundação Fórum Campinas, foi importante para a escolha da região. “Temos proximidade com a Fundação Fórum Campinas. No País, temos hoje 12 projetos de base tecnológica que estão recebendo investimentos. Viemos para Campinas para alavancar projetos em áreas como tecnologia, tecnologia da informação e comunicação”, afirmou o executivo da Astra.
José Azarite (Fórum Campinas) assina protocolo de parque empresarial com Gilberto Brito (Terras de Barão)
O presidente da Fundação Fórum Campinas, José Eduardo Azarite, afirmou que o Inova Campinas é um dos pilares de sustentação de políticas para potencializar a área de inovação e tecnologia da região. “O objetivo é também fazer com que o evento seja a ponte entre as empresas de base tecnológica e gestores de fundos de investimentos. A meta é que o capital olhe para Campinas com mais atenção e que a região seja considerada de classe mundial”, comentou.
Azarite ressaltou que os outros pilares para alavancar os setores de inovação e tecnologia de Campinas e região são a criação de um portal da Fundação Fórum Campinas, que terá informações de qualidade sobre todos os temas referentes ao potencial da região; e as políticas públicas de incentivo que serão subsidiadas com histórias de sucesso de outras regiões no mundo. “Mais um pilar é a atração de investidores.”
Políticas públicas
O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), afirmou que uma das marcas do segundo mandato será projetar a imagem da cidade no mundo como a “capital do conhecimento no Brasil”. “No primeiro mandato, criamos leis de incentivo para empresas de base tecnológica. Fomos o primeiro município brasileiro que fez uma lei para as startups. Vamos ouvir os setores produtivos e de pesquisa para verificar se há necessidade de aprimoramento da legislação. Outro medida que adotamos é manter escritórios em outros países em parcerias com as cidades para projetar o município e dar suporte às empresas campineiras que forem fazer negócios no Exterior. Já temos um espaço na China. Estamos recebendo nesta semana a visita de Paulo Fernandes, que é prefeito da cidade de Fundão, em Portugal. Vamos firmar uma parceria para ter escritório na cidade e também em Lisboa. Depois vamos buscar parcerias com cidades nos Estados Unidos”, comentou.
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo, Samuel Rossilho, apontou que 2 mil empresas de base tecnológica já se beneficiaram dos incentivos fiscais da legislação vigente em Campinas. "Já colhemos os frutos das políticas públicas e da sinergia com os diferentes setores que fomentam a inovação e a tecnologia na cidade. Cerca de 2 mil empresas de base tecnológica já se beneficiaram das leis de incentivos. Desse total, 200 empresas estão instaladas na região central de Campinas.”
Rossilho disse que a cidade recebeu nos últimos quatro anos R$ 8 bilhões de investimentos produtivos. Ele salientou que o Inova Campinas é prova de que a cidade é um polo importante de tecnologia e inovação. “No nosso planejamento, a meta é projetar Campinas como a cidade do conhecimento da América Latina. A cidade vai ganhar placas com esse título. É importante que os moradores conheçam a potencialidade do município na área do conhecimento, inovação e tecnologia”, reforçou.
SAIBA MAIS
Durante o evento foi assinado um protocolo de intenção entre a Fundação Fórum Campinas e a Terras do Barão Empreendimentos para o desenvolvimento do Galileo Parque Tecnológico Empresarial. “A Fundação vai dar um suporte ao empreendedor. O importante é que possamos fomentar um ambiente que gere investimentos, empregos e renda”, afirmou o presidente da entidade, José Eduardo Azarite. Um dos responsáveis pelo projeto, Gilberto Zancaner Brito, disse que a parceria vai permitir o desenvolvimento de um projeto focado em empresas de alta tecnologia. “Contaremos com a gestão e o apoio da Fundação Fórum Campinas.”
Ações para melhorar a vida das pessoas
As universidades e os institutos de pesquisa têm papel chave para o fortalecimento do ecossistema de inovação e tecnologia. O reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), José Tadeu Jorge, afirmou, durante a abertura da 3ª edição do Inova Campinas, que o conhecimento se transforma em inovação para melhorar a vida da sociedade. Ele citou que a Unicamp criou um ambiente que incentiva o empreendedorismo. “Recentemente, fizemos um estudo que apontou que nasceram 514 empresa-filhas da Unicamp. Desse total, 434 estão ativas. A taxa de mortalidade é uma das menores do mundo. As empresas empregam 22 mil pessoas e geram R$ 3 bilhões por ano em faturamento.
A Unicamp forma 5 mil alunos na graduação e na pós-graduação todos os anos”, comentou Jorge. A integração entre universidades, empresas, investidores, governos e sociedade pautou as discussões na manhã do primeiro dia do fórum, que faz parte do calendário da Semana Nacional de Inovação e Tecnologia. O painel tinha como tema “Conhecimento, Inovação e o Impacto no Desenvolvimento Regional”.
Lousie Kempton da Newcastle University, que fica no Reino Unido, afirmou em palestra que é necessário aprimorar os mecânismos de interação entre empresas, universidades e governos. “A visão tem que ser compartilhada”, disse. O representante do Ministério da Ciência e Tecnologia, Antônio Galvão, comentou que o órgão prepara uma revisão do planejamento da estratégia de fomento de inovação no País. “O Brasil é um País de dimensões continentais e temos uma maior concentração dos polos econômicos nas regiões Centro-Sul. No caminho do desenvolvimento, não podemos concentrar recursos em poucos nichos. Há uma boa notícia que é o lançamento em breve do programa de apoio regional.”
Startups serão o destaque do último dia
Nesta sexta-feira no Inova Campinas, Fórum Regional de Inovação e Desenvolvimento Sustentado, será reservado para tratar de empreendedorismo com as startups, o processo sucessório como indutor de inovação em empresas tradicionais, o financiamento e apoio à inovação, e os novos modelos de interação de grandes empresas ao ecossistema de inovação. Os fundadores da V8 Startup, Fernando Gracioli Teixeira e Marina Khattar, farão a segunda palestra do dia, marcada para as 10h15, para mostrar o case da empresa que tem na carteira como um dos projetos o desenvolvimento de uma solução voltada para o setor produtivo de vinhos.
Os empreendedores também atuam em um projeto em parceria com o Grupo RAC. A iniciativa tem três frentes: setor de comunicação, educação e capacitação de jovens em vulnerabilidade social na área de informática e programação. A 3ª edição do Inova Campinas conta com o patrocínio da Prefeitura de Campinas, da Desenvolve SP, da Fapesp, da Somorelate Business Development e da Terras do Barão Empreendimentos.
Apoiam o evento o IAC, o Grupo RAC, o V8 Startups, o LIDE, a Inova Unicamp, o Ciesp-Campinas, o CRC&VB, a ACS, a Incamp, a IMA, a Anpei, o SindusCon, a Inova Ventures Participações, o Núcleo Softex Campinas, o Movimento 100 Open Startups e a Baita Aceleradora.

Escrito por:

Adriana Leite