Curitiba para quem não tem muito tempoTurismo
Publicidade

Publicado 28/03/2016 - 16h29 - Atualizado 28/03/2016 - 16h51

Por Inaê Miranda

Calçadão do Centro de Curitiba

Divulgação

Calçadão do Centro de Curitiba

Curitiba atrai milhares de turistas todos os anos por sua multiplicidade cultural, por suas belas paisagens, aromas e encantos. As cores sempre vivas de seus jardins, a gastronomia que reúne sabores de várias etnias, as noites efervescentes e uma agenda cultural com atividades para o ano inteiro tornam o destino uma opção para todos os gostos, idades e bolsos. A cidade fica especialmente atrativa entre os meses de março e junho, com a chegada do Outono-Inverno e quando recebe grandes festivais: de teatro, cinema, música e gastronomia. O Turismo traz nesta edição um pouco do que, a capital paranaense oferece e dicas de como aproveitar a cidade para quem vai com o tempo curto.
Foto: Inaê Miranda/AAN
Oratório Bach, no Bosque Alemão, em Curitiba
Oratório Bach, no Bosque Alemão, em Curitiba
Parques
Um de seus pontos altos é a beleza natural distribuída em quase 40 parques e bosques. Com 64,5 m2 de área verde por habitante, a cidade é conhecida como uma das mais sustentáveis do Brasil. Nos pequenos “pulmões verdes”, a capital paranaense reúne mata nativa e espécies ameaçadas de extinção. Aliás, um dos destaques são as belas e imponentes araucárias — árvore símbolo de Curitiba e que dá origem a seu nome. Além de presentes nos bosques e parques, o pinheiro-do-paraná, como também é conhecido, pode ser visto em toda a cidade. Também chama a atenção, a variedade de flores cuidadosamente cultivadas nas entradas dos parques — que dão um colorido especial.
O Jardim Botânico é parada obrigatória para quem vai a Curitiba pela primeira vez. O atrativo é o mais visitado da cidade, e em 2013 foi eleito como a melhor vista do Brasil. Além da estufa que lembra o antigo Palácio de Cristal de Londres, dos jardins geométricos e do bosque de mata nativa, o lugar abriga o Museu Botânico, com espécies raras e que são referências do Brasil. Quem visita o Jardim Botânico em meados do Inverno ainda pode apreciar o espetáculo da florada das cerejeiras-do-japão. Cerca de 30 árvores formam um corredor colorido de um tom rosa claro, que dão um charme ainda mais especial ao lugar. A florada dura, no máximo, dez dias.
Foto: Inaê Miranda/AAN
Jardim Botânico de Curitiba
Jardim Botânico de Curitiba
O Bosque Alemão é considerado um dos espaços públicos mais criativos da cidade. O local homenageia os imigrantes alemães e o legado da cultura germânica. Uma antiga igreja luterana abriga uma sala de concertos musicais, trata-se do Oratório Bach. Outra atração do bosque é a trilha de João e Maria, que narra o conto dos irmãos Grimm. Atividade perfeita para quem vai com criança. A trilha termina em uma biblioteca infantil, conhecida também como a Casa da Bruxa. O Bosque Alemão ocupa 38 mil metros quadrados de área no bairro Jardim Schaffer. A cidade ainda tem outras atrações como o Bosque do Papa, que homenageia a colônia polonesa, além da Ópera de Arame, Parque Tanguá, Parque Tingui, Parque Barigui e o Passeio Público.
Foto: Inaê Miranda
Parque Tanguá, em Curitiba
Parque Tanguá, em Curitiba
Com tantos parques e bosques assim, piquenique é uma boa pedida. Algumas agências de turismo receptivo, como a Special Paraná, oferecem o serviço de locação de cestas, com opções que incluem queijos e vinhos finos, castanhas, com preços que vão de R$ 90 a R$ 345, de acordo com os produtos e com a quantidade de pessoas a serem servidas.
Facilidades para o turista
Os turistas contam com duas ferramentas práticas e gratuitas para se localizar e explorar a capital. A primeira é a nova versão do aplicativo Curta Curitiba, para tablets e smartphones. O App traz informações sobre pontos turísticos, guia de hospedagem, gastronomia, atrações culturais, passeios, dicas para locomoção na cidade e muito mais. Para quem prefere o modelo de papel há uma versão atualizada do Mapa Turístico Curta Curitiba, distribuído em hotéis e postos de informação. Outra facilidade é o transporte gratuito na noite curitibana, por meio do sistema Leva & Traz, que disponibiliza transporte gratuito entre os mais de 40 hotéis da cidade e os principais restaurantes, bares, casas de shows, teatros e shoppings. O serviço funciona de segunda a sábado, das 19h30 às 23h30, mediante agendamento até 18h30.
Foto: Inaê Miranda/AAN
Parque Barigui, em Curitiba
Parque Barigui, em Curitiba
Quem visita a cidade em busca de ampliar o repertório cultural, não pode deixar de conhecer o Museu Oscar Niemeyer (MON), onde estão em cartaz as exposições: Polaroids (08/05), Colapso (01/05) e O tempo e a imagem (10/04). O museu abre de terça a domingo e os ingressos custam R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia-entrada). O calendário de eventos de Curitiba, que celebra seus 323 anos nesta terça-feira (29), vai além e inclui uma série de festivais ao longo do ano. Até 03 de abril acontece o Festival de Curitiba. O evento reúne diversas formas de arte como dança, circo, stand-up, improviso e gastronomia, mas mantém o pé firme no teatro. Maio é a vez do Festival Internacional de Cinema Curitibano e do Mia Cara Curitiba, festival cultural e gastronômico que traz um pouco da Itália para o Brasil. Outro grande evento é o Festival de Inverno, em junho, que reúne cultura, entretenimento e gastronomia. A cidade também oferece circuitos que prometem diversão, cultura e lazer o ano inteiro. Na Rota Avenida do Batel estão situados bares, danceterias, restaurantes, casas de shows e shoppings centers. Para os amantes da gastronomia, Curitiba é literalmente um prato cheio. Além do tradicional pinhão, o cardápio curitibano oferece desde o pierogi dos poloneses, a “carne de onça” dos alemães, até o rodízio de massas dos italianos. O bairro Santa Felicidade é um tradicional polo gastronômico da cidade. No local, está o famoso restaurante Madalosso.

Escrito por:

Inaê Miranda