Moradora de Pedreira tem quadrigêmeas no Caism
CORREIO.COM.BR

Comunicar erro
[X]

Você encontrou algum erro? Seja ele técnico, gramatical e até mesmo de informações, entre em contato e nos comunique.

Moradora de Pedreira tem quadrigêmeas no Caism


A probabilidade de gestação de quadrigêmeos é de 1 a cada 500 mil; juntas, Sara, Raquel, Milena e Beatriz, pesam menos de 4 kg

4 MENINAS

Moradora de Pedreira tem quadrigêmeas no Caism

A probabilidade de gestação de quadrigêmeos é de 1 a cada 500 mil; juntas, Sara, Raquel, Milena e Beatriz, pesam menos de 4 kg

25/06/2015 - 13h06 - Atualizado em 26/06/2015 - 10h03 | Sarah Brito
sarah.brito@rac.com.br

Foto: Sarah Brito
A mãe, Miriam Lopes, está bem, mas ainda está no hospital; bebês estão internadas na UTI neonatal
A mãe, Miriam Lopes, está bem, mas ainda está no hospital; bebês estão internadas na UTI neonatal

Quatro meninas nasceram essa semana no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) da Unicamp. A gestação dos quadrigêmeos emocionou funcionários e médicos do hospital. Juntas, as meninas pesam menos de 4 quilos. Apesar do baixo peso, as crianças passam bem.
Elas nasceram na terça-feira (23), às 15h40, de parto cesárea. A gestação foi natural. A probabilidade de gestação de quadrigêmeos é de 1 a cada 500 mil. Em 30 anos de Caism, esse é o quarto parto de quadrigêmeos. 
O parto durou menos de cinco minutos e as bebês nasceram com um intervalo de 2 minutos entre a primeira e a quarta
O parto durou menos de cinco minutos e as bebês nasceram com um intervalo de 2 minutos entre a primeira e a quarta. A bebê mais pesada é Raquel, com 990 g. Milena tem 760g; Beatriz, 750g e Sara, a menorzinha, pesa 695g. As bebês estão internadas na UTI neonatal, se alimentando por sonda. Uma das crianças apenas que já está sem a sonda. 
Segundo o hospital, as bebês não correm mais risco de morte. Elas nasceram prematuras, a gestação teve que ser interrompida quando foram completados seis meses por causa dos riscos para mãe e bebês. Uma das crianças apresentou um problema cardíacos passa por exames. Os médicos dizem que não é grave.

A mãe, Miriam Lopes, de 31 anos, está bem, mas ainda está no hospital. Ela mora em Pedreira e já tem um filho. Como são muito pequeninos, os bebês devem ficar mais dois meses no Caism. Eles recebem cuidados especiais. A cada 3 ou 4 horas, as meninas tomam 1 mililitro de leite. 
O pai, Stephan Lopes, de 26 anos, está desempregado e a família precisa de muita ajuda para manter as novas integrantes. A principal necessidade é fralda tamanho RN e também roupas. As doações podem ser encaminhadas para o Departamento de Comunicação do Caism, na Unicamp. 
 



Siga-nos nas redes sociais
Tempo Agora Cinema horoscopo estrada aeroportos transito